Vilas-Boas afirma que estado não interfere em repasse de verbas à prefeitura

O secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas, rebateu nesta segunda-feira (29) as afirmações de diversos setores da prefeitura de Salvador (veja aqui, aqui e aqui) de que o governo da Bahia ou o ministério da Saúde deixam de repassar recursos para a capital baiana. “Não existe repasse do governo federal para o estadual e do estado para o município. Não existe isso. Salvador tem gestão plena, o que quer dizer que o dinheiro não passa pela mão do estado, ele vai de fundo a fundo. Do fundo nacional de saúde para o fundo municipal de saúde.


Ele recebe o dinheiro dele”, afirmou ao Bahia Notícias. De acordo com Vilas-Boas, o governo do estado recebe recursos da Rede Cegonha, por exemplo, porque Salvador não tem maternidades controladas pela prefeitura. “Você ia entregar o dinheiro pra Salvador para fazer o quê, se em Salvador não tem maternidade? Nem um leito sequer contratado. Qual é a maternidade municipal de Salvador? Não tem! Tsylla Balbino, Iperba, Albert Sabin, João Batista Caribé, Roberto Santos, José Maria Magalhães, Lauro de Freitas… todas são do estado da Bahia. Então ele não pode ficar com o recurso de parto se ele não faz parto”, declarou o gestor. De acordo com Fábio Vilas-Boas, a mesma lógica é aplicada aos recursos de urgência e emergência. O secretário ainda afirmou que apenas um terço da verba aplicada no Hospital Roberto Santos mensalmente é proveniente do Ministério da Saúde. “Quando Salvador tiver um hospital, ele vai ter esse recurso, mas vai ter que tirar do bolso também”, finalizou.

Escreva Um Comentário