Top 10: as maiores teorias da conspiração

top-10-as-maiores-teorias-da-conspiracao


Aqui está uma lista das maiores teorias da conspiração do mundo.

1 – 11 de Setembro de 2001
Graças ao poder da web e das transmissões ao vivo pela televisão, as teorias da conspiração em torno dos acontecimentos de 11 de setembro – quando os terroristas atacaram o World Trade Center em Nova York e o Pentágono em Washington – ultrapassaram as teorias da conspiração de Roswell e JFK. Apesar das alegações repetidas de que a Al-Qaeda teria planejado, organizado e orquestrado os ataques, várias investigações oficiais e não oficiais sobre o colapso das Torres Gêmeas, concluiram que a falha estrutural foi responsável pela queda das torres, e imagens dos eventos em si fazem com que as teorias da conspiração continuem a crescer com força.

As teorias vão desde aqueles que acreditam que o governo dos EUA tinha um aviso prévio dos ataques, mas não fez o suficiente para detê-los, até aqueles que acreditam que o governo Bush deliberadamente fez vista grossa a essas advertências porque queria um pretexto para lançar guerras no Oriente Médio.

Um grande grupo de pessoas – coletivamente chamado de Movimento pela verdade do 11 de Setembro – cita evidências de que um avião não teria atingido o Pentágono e de que o World Trade Center não poderia ter sido derrubado apenas por impactos de um avião e por combustíveis de aviação.

Muitas testemunhas – incluindo bombeiros, policiais e pessoas que estavam dentro das torres na época – afirmam ter ouvido explosões seguidas pelo impacto das aeronaves (incluindo nos níveis mais baixo das torres). As explosões teria acontecido antes dos colapsos e dos próprios ataques.

Assim como no assassinato de JFK, o inquérito oficial sobre os acontecimentos – o Relatório da Comissão do 11 de Setembro – é amplamente ridicularizado pela comunidade da conspiração e tida como evidência adicional de que o ataque terrorsita foi um “trabalho interno”. Periódicos científicos têm consistentemente rejeitado essas hipóteses.

 

2. O assassinato de John F. Kennedy
JFK foi baleado na sexta-feira, 22 novembro de 1963, em Dallas, Texas, às 12:30. Ele foi mortalmente ferido por tiros enquanto seguia com sua esposa – Jacqueline Kennedy – em uma carreata. A investigação de dez meses da Comissão Warren, de 1963 a 1964, do Comitê da Câmara sobre Assassinatos dos Estados Unidos (HSCA) de 1976 a 1979, e as investigações de outros governos concluíram que o presidente tinha sido assassinado por Lee Harvey Oswald – que também foi morto a tiros por Jack Ruby, durante custódia policial.

Mas as dúvidas sobre a explicação oficial e a conclusão de que Oswald era o atirador solitário do depósito de livros acima do Dealey Plaza, onde Kennedy foi atingido, vieram à tona logo após o relatório da comissão ser divulgado. Imagens da carreata tomadas por Abraham Zapruder em película de 8mm apoiou a crença de que pelo menos quatro tiros foram disparados – e não os três que a Comissão Warren afirmou. Os momentos gravados no filme também sugerem que pelo menos um dos disparos vieram de uma direção completamente diferente daqueles supostamente disparados por Oswald – prova apoiada por depoimentos de testemunhas oculares. Muitos acreditavam que vários tiros foram disparados por homens armados se escondendo atrás de uma cerca de piquete em uma colina gramada com vista para a praça.

Em 1979, o Comitê da Câmara sobre Assassinatos dos Estados Unidos (HSCA) descobriu que tanto a investigação do FBI quanto o relatório da Comissão Warren estariam seriamente errados. O HSCA também concluiu que houve pelo menos quatro tiros e que era provável que existisse uma conspiração. No entanto, estudos posteriores, incluindo um realizado pela Academia Nacional de Ciências, têm questionado o rigor das provas usadas pelo HSCA para apoiar sua conclusão de quatro tiros.

 

3. Roswell
O evento que deu o pontapé inicial em mais de meio século de teorias da conspiração gira em torno de objetos voadores não identificados (OVNIs). Algo caiu em Roswell, Novo México, pouco tempo antes de 7 julho de 1947 e – a princípio – as autoridades dos EUA declararam explicitamente que se tratava de um disco voador. Numerosas testemunhas disseram ter visto destroços metálicos espalhados sobre uma vasta área e pelo menos uma pessoa relatou ter visto uma nave cruzando o céu em chamas, pouco antes de cair. Nos últimos anos, as testemunhas têm acrescentado significativos detalhes, incluindo alegações de uma grande operação militar dedicada à recuperação de naves alienígenas e dos próprios alienígenas, e a intimidação de testemunhas. Em 1989, o ex-agente funerário Glenn Dennis afirmou que ele estava envolvido em autópsias exóticas que foram realizadas na base da força aérea de Roswell.

A teoria da conspiração tem sido ventilada pelos militares dos EUA repetidamente mudando sua história. Poucas horas depois de o exército dizer aos repórteres que tinha recuperado um disco voador acidentado, oficiais superiores insistiram que a única coisa que tinha caído do céu tinha sido um balão meteorológico.

Um relatório do Gabinete do Secretário da Força Aérea, lançado em 1995, concluiu que o material recuperado em 1947 era provavelmente restos de um programa governamental secreto chamado Projeto Mogul, que envolveu balões de grande altitude utilizados para detectar ondas sonoras geradas pelos testes de bombas e mísseis balísticos soviéticos. Um segundo relatório, lançado em 1997, concluiu que os relatos de corpos de alienígenas eram provavelmente uma combinação de memórias inocentemente transformadas de acidentes envolvendo militares feridos ou mortos, e a recuperação de manequins antropomórficos em programas militares, como o projeto Dive realizado em 1950.

 

4. NASA forjou as aterrissagens na Lua
Algumas das teorias em torno deste assunto são de que os astronautas da nave Apollo não pousaram na Lua; a Nasa e, possivelmente outros órgãos, teriam intencionalmente enganado o público, levando-o a acreditar no desembarque fabricando, destruindo, ou adulterando provas, incluindo fotografias, fitas de telemetria, transmissões e amostras de rochas, e que a Nasa continua a participar ativamente dessa conspiração.

Aqueles que pensam que a Nasa falsificou alguns ou todos os desembarques na Lua baseiam suas teorias em fotografias da superfície lunar, na bandeira colocada por Buzz Aldrin que se movia de uma forma estranha, na falta de estrelas sobre a paisagem lunar e em sombras caindo em direção diferente. Muitos comentaristas têm publicado refutações detalhadas sobre as provas, e essas teorias têm sido vistas geralmente com desconto.

 

5. Os Illuminati e a Nova Ordem Mundial
Uma conspiração em que grupos poderosos e secretos (os Illuminati, o Grupo de Bilderberg e outras cabalas) estariam tramando para governar a humanidade com um governo mundial único. Muitos eventos históricos teriam sido projetados por estes grupos com um único objetivo – a Nova Ordem Mundial (NWO). Os grupos usariam políticas financeiras, engenharia social, controle da mente, e propaganda baseada no medo para atingir seus objetivos. Sinais da Nova Ordem Mundial estariam na pirâmide no verso do Grande Selo dos Estados Unidos, em murais estranhos e perturbadores no Aeroporto Internacional de Denver, e em pentagramas nos planos da cidade. Organizações internacionais como o Banco Mundial, o FMI, a União Europeia, as Nações Unidas e da Otan são listados como organizações fundadoras da Nova Ordem Mundial.

 

6. Elvis Presley forjou sua própria morte
A crença persistente é de que “o Rei” não morreu em 1977. Muitos fãs insistem em afirmar que ele ainda está vivo, que ele se escondeu por várias razões. Esta afirmação é supostamente apoiada por milhares de visualizações. A principal razão dada para apoiar a crença de que Presley forjou sua morte é que, em seu túmulo, seu nome do meio Aron é grafado como Aaron. Mas “Aaron” é na verdade o genuína nome do meio de Presley. Aparentemente, tanto Presley quanto seus pais tentaram mudar o nome para “Aron” para torná-lo mais semelhante ao natimorto irmão gêmeo de Presley, Jesse Garon Presley.

 

7. Shakespeare não foi Shakespeare
Quem realmente foi o maior escritor do idioma Inglês? Entre os inúmeros candidatos propostos Francis Bacon, Christopher Marlowe, William Stanley (Conde de Derby 6) e Edward de Vere (Conde de Oxford 17), são os mais populares. Os teóricos acreditam que há uma falta de evidência provando que o ator e empresário por vezes conhecido como Shaksper de Stratford foi o responsável pelo corpo de obras que levam seu nome. Existe muito pouca informação biográfica sobre Shakespeare.

 

8. Paul McCartney está morto
“Paul está morto” é uma lenda urbana, alegando que Paul McCartney morreu em um acidente de carro em 1966 e foi substituído por um sósia e cantor com voz semelhante. “Evidências” sobre a morte de McCartney consistem em “pistas” encontradas entre as muistas gravações dos Beatles.

Elas incluem declarações supostamente ouvidas quando uma música é tocada para trás, simbolismo encontrado nas letras obscuras, e imagens ambíguas nas capas de álbuns. Alguns deles são bem conhecidos, como o fato de que McCartney é o único Beatle descalço e está fora de sintonia com os outros na capa de Abbey Road.

 

9. Harold Wilson era um agente soviético
Soviético desertor Anatoliy Golitsyn é apontado por alegar que Wilson era um espião da KGB. Ele alegou ainda que Hugh Gaitskell foi assassinado pela KGB para que ele pudesse ser substituído como líder trabalhista por Harold Wilson. Além disso, o ex-oficial do MI5 Peter Wright afirmou em suas memórias – que tinha sido dito que Wilson era um agente soviético. MI5 investigou Wilson ao longo de vários anos antes de decidir conclusivamente que ele não tinha relação com a KGB. No programa de TV da BBC, The Plot Against Harold Wilson, transmitido em 2006, foi alegado que os militares estavam a ponto de lançar um golpe de Estado contra Wilson em 1974. O próprio Wilson disse à BBC que ele temia que estivesse sendo minado pelo MI5 em 1960 após a desvalorização da libra esterlina e novamente em 1974, depois de ele quase ganhar uma eleição contra Edward Heath.

 

10. O vírus da Aids foi criado em um laboratório
Com base nas teorias do Dr. William Campbell Douglass, muitos acreditam que o HIV foi geneticamente criado em 1974 pela Organização Mundial de Saúde. Dr. Douglass acreditava que era uma tentativa de um sangue frio para criar um vírus mortal que era então usado em uma experiência bem sucedida na África. Outros alegaram que ela foi criada pela CIA ou pela KGB como um meio de reduzir a população mundial.

 

 

Fonte: Telegraph

Escreva Um Comentário