“Rodízio de Mulheres” é cancelado em Minas Gerais

Um “Rodízio de Mulheres” que aconteceria em Minas Gerais foi cancelado por intervenção do Ministério Público, o evento aconteceria com 35 mulheres.

O local já não contava com alvará e tinha sido interditado anteriormente, mas o evento exótico foi a gota d’água.

No cartaz divulgado nas redes sociais e amplamente espalhado pelo Whatsapp, a festa era anunciada para o dia 20 de novembro de 2015. Segundo o convite, o cliente pagaria “R$ 150 para entrar e ‘consumir’ quantas garotas aguentasse”. O cartaz ainda afirmava que a festa seria “a mais louca e esperada de Poços de Caldas”.

cartaz-245x300

Após a repercussão nacional do anúncio e da interdição da boate, uma nova propaganda da festa na página do Facebook foi postada, só que desta vez, ela foi modificada. No lugar de “consuma quantas garotas aguentar”, estava escrito: “Pague R$ 150 e fique à vontade”. O dono do bordel afirmou que a primeira propaganda divulgada não era a definitiva, mas uma prova gráfica.

Após o cancelamento, ele lamentou: “Nós já tínhamos caravanas marcadas do Mato Grosso do Sul, do Rio de Janeiro e de São Paulo, pessoas confirmadas e reservadas”, lamentou.

O promotor Renato Maia, responsável pelo caso, disse que já pediu uma investigação sobre o caso. “Eu já requisitei da autoridade policial que seja instaurado um inquérito e pedi ao Corpo de Bombeiros que faça uma fiscalização ‘in loco’, para ver se a casa tem condições de receber qualquer evento que seja. E vou tomar as medidas relacionadas aos direitos humanos, pedindo a interdição do evento em si, e não da casa”, disse.

Duas garotas de programa de 19 e 28 anos, contratadas para a festa, falaram sobre a festa. “Ele conversou com a gente, a gente queria, porque seria uma ajuda para a gente mesmo”, afirmou uma delas. “Iria ter segurança e não seríamos obrigadas a nada. Teríamos uma festa para as pessoas se divertirem mesmo”, finalizaram.

 

Escreva Um Comentário