Quem eram os escravos de Jó e por que eles jogavam caxangá?

“Escravos de Jó, jogavam caxangá…”, basta alguém começar a cantar que você imediatamente se lembra da letra completa da cantiga, não é mesmo? Os escravos de Jó fizeram parte da infância de praticamente todas as crianças nascidas ou criadas no Brasil.

Apesar de ser bastante conhecido, há algo sobre o canto que fica no ar: Afinal das contas, quem eram esses tais escravos de Jó e por que eles jogavam caxangá? Apesar de parecer brincadeira de criança, é possível aprender bastante sobre a cultura e até mesmo história do nosso país através da cantiga popular.

O tráfico de escravos para o Brasil não é nenhum segredo. Com a chegada dos povos do continente africano nas Américas, a cultura deles também veio junto e, em seguida, foi reconstruída no novo território, apesar de toda a opressão sofrida. Já nas terras brasileiras, músicas, danças e até mesmo adereços se tornaram símbolos de resistência.

O que é caxangá?

siri-600x450

De acordo com o Dicionário do Folclore Brasileiro, caxangá nada mais é do que um tipo de adereço usado pelas mulheres alagoanas. Além disso, a palavra também possui outros significados, como um chapéu usado por marinheiros e um crustáceo que se parece com um siri. Você deve estar se perguntando o que esses significados de “caxangá” tem a ver com a cantiga. Por mais inacreditável que pareça, o mais provável é que o caxangá do canto se refira aos crustáceos.

 Isso mesmo, você não leu errado. Durante a escravidão no Brasil, os escravos trabalhavam capturando siris, ou seja, juntando caxangás. Mas a letra da cantiga diz “jogando caxangá”, certo? Tudo indica que com o passar do tempo, e com o passar da música de boca em boca, o significado tenha sido alterado e “pegando caxangá” tenha se transformado em “jogando caxangá”. Sim, era um trabalho e não um jogo para eles.

Jó, seus escravos e o zigue zigue zá

cax-600x299

Até onde se sabe, Jó é um personagem bíblico do velho testamento, que, segundo a bíblia sagrada cristã, tinha 7 mil ovelhas, 3 mil camelos, 500 jumentas e 500 bois, além de muitos servos. Não é preciso dizer que, para a época, ele era um homem muito rico. Por causa disso, ele aparece na canção como donos dos escravos. O nome de Jó provavelmente foi apropriado pela cultura negra para simbolizar a imagem de homem rico e poderoso, como eram os senhores de engenho.

Já o “zigue zigue zá” provavelmente se refere ao ziguezague que os escravos faziam para fugir do capitão-do-mato, que os perseguia em caso de fuga, a mando do senhor. Por isso são apontados como “guerreiros”, afinal, fugir da escravidão não é nada fácil.

E então, acha que a cantiga dos escravos de Jó faz mais sentido agora? Aposto que você não imaginava tudo isso quando brincava com os amigos na infância.

Fontes: Dicionário do Folclore Brasileiro, Dicionário Tupi-Guarani

Escreva Um Comentário