O que tem dentro da Tocha Olímpica?



A Tocha Olímpica, ou Fogo Olímpico, é um importante símbolo das Olimpíadas, sua origem reside na Grécia Antiga, onde o foto era mantido por toda a celebração nos Jogos Olímpicos da Antiguidade. A Tocha Olímpica, com seu significado ancestral, foi reintroduzida nos Jogos Olímpicos  de 1928, e faz parte das Olimpíadas Modernas desde então. O percurso na Tocha Olímpica foi introduzido nos Jogos Olímpicos de Berlim de 1936.

Atualmente, a Tocha Olímpica é acesa vários meses antes da Olimpíada no local dos jogos Olímpicos da Antiguidade, em Olímpia, na Grécia. Onze mulheres, representando o papel de sacerdotisas, realizam uma cerimônia na qual a Tocha Olímpica é acendida pela luz do sol com seus raios concentrados por um espelho parabólico.

O revezamento da Tocha Olímpica termina um dia antes da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos. A última pessoa a levar a tocha é tradicionalmente mantida em segredo até o último momento e geralmente é uma celebridade esportiva do país anfitrião. A celebridade, geralmente sobe uma grande escadaria e então ela acende o Fogo Olímpico, que fica aceso até o encerramento dos Jogos Olímpicos.

A Tocha Olímpica na antiguidade

Ensaio da cerimônia de acendimento da tocha olímpica dos Jogos Rio 2016 em Olímpia, na Grécia

Antigamente, nos Jogos Olímpicos da Antiguidade, o fogo tinha um significado divino, as pessoas achavam que ele tinha sido roubado dos deuses por Prometeus. O fogo também estava presente em muitos santuários em Olímpia, e era constantemente queimado no altar de Hestia. Durante os jogos, que honravam Zeus, os fogos adicionais eram acesos no seu templo e no de sua mulher Hera, e hoje em dia, a Tocha Olímpica é acesa onde costumava ser o templo de Hera.

A Tocha Olímpica nos tempos de hoje

002

A prática moderna de mover a Tocha Olímpica através de um sistema de revezamento desde Olímpia até o local da Olimpíada começou nos em Berlim no ano de 1936. Embora a maior parte do tempo a Tocha seja levada por uma pessoa, ela é transportada de várias formas. Em 1948 ela foi transportada de barco para cruzar o Canal da Macha, e foi levada de avião pela primeira vez em 1952, quando foi para Helsinque.

A cada edição, tenta-se acender a pira olímpica de maneiras mais belas e originais. Na cerimônia de abertura de 1992, em Barcelona, os espanhóis resolveram inovar ao acender a pira olímpica, fazendo isso com um arqueiro disparando uma flecha com o Fogo Olímpico.

Como é a Tocha Olímpica por dentro?

2

O grande diferencial da tocha está no momento do “beijo”, que é a hora que uma tocha encosta na outra para passar a chama olímpica durante o revezamento. Nesse instante, a tocha ganha cores e movimento, chegando a ficar 6,5 centímetros mais alta. A Tocha Olímpica também tem três níveis de proteção contra o vento, orifícios da chama piloto, micro-orifícios de saída de gás da chama principal, queimador e isolamento térmico. A tocha é feita com alumínio reciclável e a pintura é feita com verniz nas partes coloridas.

No duto, o gás sobe liquefeito por tudo bem fino, chamado de capilar e passa por uma estrutura designada regulador de pressão. Ela garante que o gás saia na pressão exata para produzir a chama na altura desejada, sem excesso de potência que possa aproximá-la do rosto das pessoas. O pistão de acionamento da elevação é acionado quando apertam um botão em baixo da tocha, onde a mola  empurra o eixo estrutural, abrindo a parte superior. O centro de gravidade fica bem próximo de onde pegar a tocha, para que seja mais confortável e seguro de conduzi-la, pois a distribuição correta de peso a equilibra.

homem

O acabamento da tocha é acetinado e apresenta uma textura formada por uma malha com pequenos triângulos. A forma geométrica remete aos valores dos Jogos Olímpicos: excelência, amizade e respeito. O cilindro de gás liquefeito fica bem longe do queimador, para que um não interfira no outro e não gere riscos. Tem capacidade de manter a chama acesa em média por 18 minutos. Isso pode variar conforme a temperatura ambiente e a pressão atmosférica. Em lugares mais quentes ou altos o consumo é maior.

E por último, a manopla comanda tanto o sistema de elevação quanto o gás. Com a trava de segurança liberada, ao rotacionar 80 graus no sentido horário, a elevação da tocha para o “beijo” é liberada. Rotacionando um pouco mais o gás é aberto para receber a chama. O gás é desligado girando a manopla no sentido anti-horário.

Bom, nessa matéria tentamos descrever para vocês com palavras o que tem por dentro do objeto mais comentado nos últimos tempos a Tocha Olímpica, e agora vocês vão ver um vídeo que mostra exatamente o que tem dentro da tocha, confiram:

E aí amigos, já sabiam como é a Tocha Olímpica por dentro? Comentem!

Escreva Um Comentário