O que acontece quando alguém mistura energético e álcool?

Não é raro ver a mistura em eventos, bares e festas de bebidas alcoólicas e energéticas. Geralmente, a intenção ao consumir a mistura é ter um ganho de energia e empolgação para poder aproveitar melhor a balada e se divertir com propriedade. Apesar disso, os riscos que as duas bebidas juntas podem representar devem causar atenção.

Por mais que pareça uma mistura do paraíso, álcool e energético juntos podem ser uma combinação demoníaca. De 2007 a 2011, a taxa de atendimentos de emergência em hospitais dobrou por causa do consumo de bebidas energéticas. Por causa disso, nos Estados Unidos, várias bebidas que já eram vendidas contendo a mistura de álcool e energético chegaram a ter a venda proibida.

Um estudo realizado em 2012 concluiu que pessoas que tem o hábito de beber essa mistura tem seis vezes mais chances de sofrer de um problema do coração e quatro vezes mais chances de sofrer com insônia e alterações de humor do que as pessoas que bebem álcool sem misturar.

Energético

1

Mesmo sem a mistura, os efeitos do energético podem representar riscos às pessoas, dependendo das condições de saúde. Segundo o cardiologista Ricardo Rodrigues, só por reduzir a sensação de cansaço, a bebida já pode ser perigosa. “Quando se mascara esta sensação (de cansaço), obriga-se o corpo a trabalhar além do que ele suporta, isso pode gerar problemas, já que o organismo precisa de um tempo para se recompor “, explica.

Além disso, a cafeína que compõe a bebida pode representa risco de problemas de arritmia cardíaca em alguns pacientes. De acordo com o médico, o álcool também tem capacidade de alterar o ritmo do coração quando ingerido em altas doses. Misturadas, as duas bebidas podem ter os efeitos potencializados e causar danos no sistema cardíaco, especialmente em quem tem predisposição ou já apresenta algum outro problema de coração.

Psicologia

2

Os efeitos no coração também podem ser acompanhados de efeitos na mente e na percepção dos indivíduos. Quem bebe energético misturado com álcool tem a ideia de que está menos alcoolizado do que realmente está, por causa dos efeitos da cafeína. O energético também faz com que o corpo crie necessidade de mais álcool do que o normal.

A psicóloga Etienne Gonze de Oliveira defende que, já que energético cria situações em que as pessoas bebem mais do que o normal, a mistura funciona como potencializadora dos efeitos do álcool no organismo. “Isso facilita com que as pessoas ultrapassem seus limites e se coloquem em situações de risco. O álcool em abuso pode levar a pessoa a participar de situações que se estivesse sã não gostaria de se envolver”, afirma.

Os efeitos da misturam não se restringem aos energéticos. Outras bebidas que contém altas doses de cafeína, como refrigerantes e o próprio café, também não devem ser misturadas com álcool. O efeito é ainda maior quando as bebidas são diet, já que não contêm açúcar, que serve para amenizar os efeitos da combinação de bebidas no corpo.

Escreva Um Comentário