jovens criam dispositivo que usa luz solar para carregar celular

Nada de tomadas. Foi usando papelão, uma placa solar e um circuito USB que 15 jovens do 2º ano do ensino médio de uma escola em Rio Branco criaram um carregador de celular movido à luz do sol. O projeto foi desenvolvido durante o programa Miniempresa, realizado pela organização não governamental (ONG) Junior Achievement Pernambuco no Acre.

O dispositivo capta a luz solar, transforma em energia elétrica e passa para o aparelho eletrônico através de um cabo USB. O primeiro protótipo levou cerca de três semanas para ser desenvolvido.

De acordo com um dos idealizadores, Matheus Henrique Moreira, de 17 anos, o produto foi elaborado durante uma chuva de ideias em uma das fases do programa Miniempresa.

Moreira diz que a ideia era desenvolver algo que pudesse contribuir com o meio ambiente.

“Cada um foi falando e acabamos juntando todas as ideias e conseguimos colocar em prática. Fizemos também várias pesquisas e desenvolvemos o produto do zero. Já apresentamos o dispositivo em algumas feiras e as pessoas que viram ficaram bastante curiosas. Estamos vendendo por R$ 60 cada dispositivo. Queremos patentear o produto e criar a empresa de verdade”, diz o jovem empreendedor.


Programa Miniempresa
Cerca de 58 alunos da rede particular de Rio Branco participam do Programa Miniempresa da Organização Não Governamental (Ong) Junior Achievement, voltado  para estudantes do 2º e 3º anos do ensino médio.

A ideia do programa é proporcionar aos alunos experiências práticas em economia e negócios, na organização e operação de uma empresa, antes mesmo deles ingressarem na faculdade.

O projeto é desenvolvido nas escolas em 15 encontros, em jornadas semanais, com duração de 3h30min, geralmente à noite. Os estudantes aprendem conceitos de livre iniciativa, mercado, comercialização e produção.

De acordo com a gerente executiva da Junior Achievement no Acre, Késia Façanha, os jovens são orientados por profissionais voluntários das áreas de marketing, finanças, recursos humanos e produção.

“Fazemos todo esse trabalho de sensibilização dos alunos, com foco no empreendedorismo, sustentabilidade e mercado de trabalho. No Miniempresa, alunos do Ensino Médio têm uma experiência de como é ter uma empresa e por fim, criam um produto”, explica Késia.

Escreva Um Comentário