Jovem de Cingapura supera Phelps nos 100m borboleta

Foram necessários sete dias, mas enfim alguém parou Michael Phelps na piscina do Estádio Aquático Olímpico. O autor do feito, porém, foi um tanto quanto improvável. Joseph Schooling, de Cingapura, de apenas 21 anos, foi mais rápido que o americano, bateu o recorde Olímpico na prova dos 100m borboleta e conquistou o primeiro ouro da história de seu país.

Dono do melhor tempo nas eliminatórias e nas semifinais, Schooling assombrou o mundo nadando para 50s39 na final, deixando para trás nomes como Phelps, o sul-africano Chad le Clos e o húngaro Laszlo Cseh, que tiveram um empate triplo com 51s14 e dividiram a prata.

“Isso é fenomenal, é incrível. Não consigo definir o que significa. Foi um caminho longo até aqui. Me sinto abençoado por ter sido capaz de alcançar isso. Foi uma honra e um privilégio ter tido a chance de nadar uma final Olímpica com altletas como Phelps, Le Clos e Cseh, caras que redefiniram o esporte”, disse Schooling, que é fã confesso de Phelps e tem, inclusive, uma foto com o astro, tirada em 2008.

Jogos Olímpicos, olimpíadas rio 2016, Brasil, esportes olímpicos, jogos rio 2016, copacabana, Rio de Janeiro

Foi a primeira final em que Phelps não saiu com o ouro nos Jogos Rio 2016. O maior medalhista da história ganhou os 200m medley, os 200m borboleta e os revezamentos 4x100m e 4x200m livre.

“Ele mostrou que era o mais preparado. É claro que não fico satisfeito, pois queria uma vitória em minha última prova individual, mas tenho que aceitar. Meu tempo não foi bom, tinha que ter sido mais rápido para vencer. Mas é mais uma medalha para minha coleção agora vou me preparar para o revezamento”, disse Phelp, ao fim da prova.

O nadador americano volta à piscina neste sábado (13), dia da despedida da natação dos Jogos, para sua última prova, a final do revezamento 4x100m medley.

Katie Ledecky derruba recorde mundial

Soberana, Katie Ledecky venceu os 800m livre com quase 12 segundos de vantagem (Foto: Getty Images/Clive Rose)

A derrota de Phelps, porém, foi a única dos Estados Unidos nas quatro finais da noite. Nos 800m livre feminino, a estrela Katie Ledecky conquistou o bicampeonato e bateu, com folga, o recorde mundial da prova, marcando 8min04s79. A medalhista de prata, Jazz Carlin, da Grã-Bretanha, chegou bem depois, com 8min16s17, enquanto a húngara Boglarka Kapas levou o bronze com 8min16s37.

“Foi muito divertido. Só queria dar o meu máximo e ver o que eu podia fazer. Foi minha última prova aqui no Rio 2016 e, como os Jogos são o ponto alto da carreira de qualquer atleta, queria que a última fosse especial”, disse Ledecky, que chorou no pódio, após receber sua quinta medalha, a quarta de ouro nos Jogos.

Na prova mais rápida da natação, os 50m livre, os americanos foram duplamente ao pódio, com o ouro do veterano Ervin Anthony (21s40) e o bronze de Nathan Adrian (21s49). Entre eles, o francês Florent Manadou levou a prata com 21s41. O brasileiro Bruno Fratus fez o sexto tempo da final, com 21s79.

Nos 200m costas feminino, Madeline Dirado surpreendeu a favorita Katinka Hosszu e ganhou o ouro com 2min05s99. A húngara levou a prata com 2min06s05 e o bronze foi para a canadense Hilary Caldwell, que nadou para 2min07s54.

No sábado, acontecerão as últimas finais da natação no Estádio Aquático Olímpico, os 50m livre feminino, os 1.500m livre masculino e os revezamentos 4x100m medley masculino e feminino.

 

fonte: https://www.rio2016.com

Escreva Um Comentário