A internet representará quase 38% de toda a publicidade mundial, em 2018





A publicidade na internet é o principal motor do crescimento global dos gastos com propaganda. Esperamos um crescimento da publicidade na internet em 15,7% este ano, é três vezes superior à média geral. “Até 2018 esperamos que a publicidade na internet atraia 37,6% de toda a propaganda depois de superar a televisão e se tornar o principal meio de publicidade do mundo em 2017.

O vídeo online, é um dos principais vetores do crescimento do marketing digital nos últimos anos, segue como tendência global. Segundo os especialistas a internet deve representar quase 38% de toda a publicidade mundial, em 2018, seguida pela TV com cerca de 34%. Esse levantamento comprova que vídeos online, ao lado das mídias sociais e dos serviços de buscas, são os principais responsáveis por esse bom desempenho.

De olho nessa perspectiva de contínua expansão, o IAB Brasil planeja uma forte atuação em prol da evolução desse mercado por meio do comitê de vídeos em 2017.

Este ano será marcado pela retomada do crescimento macroeconômico, depois de dois anos em um processo de recessão causado principalmente pela instabilidade política. Nessa perspectiva de ambiente para os negócios, despontam três principais tendências no segmento de vídeo online: crescimento do volume de investimento via programático, fator determinante para o mercado adotar melhores práticas em otimização (private marketplaces e compras garantidas); exigência crescente por qualidade pautada pelo controle antifraude, brand-safetye garantia de ROI; e maior foco em rentabilidade abrangendo novas métricas como viewable CPM, viewable CPV e AVOC (Audible and Viewable On Completion),entre outras.

Essas tendências ganham destaque em um momento no qual os profissionais já se encontram bem mais preparados que há dois anos. A própria incerteza da economia em 2016 contribuiu para a busca desse aperfeiçoamento dos conhecimentos técnicos. Daqui pra frente perceberemos esses profissionais, principalmente de agências e anunciantes, apreendendo a transferir investimento do Open RTB para justamente os Private Marketplaces (ambientes mais controlados).

fonte: https://blog.mediaresponse.com.br/

Escreva Um Comentário