Girias de Baiano




A CULHÃO – De qualquer jeito, na marra; sem interesse
(ópaisso: tudo feito a culhão)
A FACÃO – Algo feito na marra
(ver também na mão grande)
A MIGUÉ – À vontade, de forma esculhambada
A PRONTO E A HORA – Toda hora
A PULSO – À força
À TOA – Parado (que cê tá fazendo aí à toa?)
ABAFA-BANCA – Picolé caseiro, feito na cuba de gelo
ABAIXAR O MEALHEIRO – Soltar grande, liberar dinheiro
ABECÊ – Abecedário
ABESTALHADO/BESTALHADO – Bobo
ABILOLADO – Maluco; abobalhado
ABRIR O GÁS – Se mandar, ir embora
ABRIRAM A PORTA DO CEMITÉRIO! – Lá vem mulher feia!
ABUSAR – Perturbar, encher o saco (mainha, manda Cecilia parar de me abusar!)
ADIJUTÓRIO/ADIJUNTÓRIO – Ajuda
AFETADO (MENINO) – Menino com jeito de fresco
AFITIM – Cheiro de algo que começa a ficar podre
AFF! – Puxa vida!
AGRESTE – Bruto, mal educado; chegado a uma baixaria
AGRESTIA – Baixaria, mau gosto (deixe de agrestia!)
AGONIADO – Aflito, apressado
ÁGUA-DURA – Cachaça
AIMPIM – Aipim
ALEIVE – Mentira, absurdo (ê aleive!)
ALFERES – Puxa-puxa (nome correto: alféloa)
ALTEAR – Aumentar o volume (do rádio)
ALUADO – Abobalhado, desligado, de lua
ALVARENTO – Branco, esbranquiçado
AMARRADO DE CORDA – Mal acabado, remendado ou enrustido; algo difícil de sair ou de se resolver
AMASSADO (ROUPA) – Amarrotado
AMIGO IRMÃO – Amigo de fé
AMIGO SECRETO – Amigo oculto
ANDA, VIRA, VOLTA – Volta e meia, vez por outra
ANTENADO – Maluco
AONDE – De jeito nenhum (em resposta a uma questão: “Você vai comprar isso?” “Aonde?!”
APARADEIRA – Parteira
APAZ – Rapaz, cara (você vai sempre? Apaz, sei não…)
APOQUENTADO – Nervoso, irritado
APREÇAR – Procurar saber o preço
ARABACA – Carro velho
ARENGUEIRO – Que procura confusão
ARERÊ – Confusão, agito
ARGOLA – Qualquer tipo de brinco
ARGOLADO – Ferrado, danado; amarrado para casamento
ARMADO – De pau duro (o cara ficou logo armado, rei!)
ARMENGUE – Improviso, gambiarra; pessoa ou coisa feia, mal ajambrada
ARRAIA – Pipa (hoje eu vou empinar arraia)
ARRASTAR ASA – Dar bola, estar a fim de alguém
ARRELIAR – Fazer pouco caso
ARRIAR O BALAIO – Abrir o jogo, contar tudo
ARRIBAR – Levantar; ir embora
ARROCHADO – Metido a valente; roubado
ARRODEAR – Dar a volta (arrodear o quarteirão)
ARROMBA PEITO – Cigarro muito forte
ARROZ DOCE – Pessoa que está em toda festa ou em todo lugar, que está em todas
ASSANHADO – Despenteado (eu curto seu cabelo assim… assanhado)
ASSENTO – Selim (de bicicleta)
ASSISTIR (O JOGO) – Ouvir pelo rádio (ontem assisti o BAxVI aqui mesmo na portaria do prédio)
ASSUNTAR – Prestar atenção
ASTUCIAR / ESTUCIAR – Inventar histórias
ATIRADO – Ousado; que se mete sem ser chamado
ATOLEIMADO – Lerdo, bobo
AÚ – Debique (movimento de queda e subida da pipa); movimento de capoeira
AUÊ – Zorra, agito
AVE MARIA! – Interjeição pra qualquer situação
AVEXADO – Apressado
AVIONADO – Disparado, correndo muito
AVOADO – Desligado
AVOAR – Voar
AXÉ! – Salve!; muita energia, muita força!
AZAR BUTICÃO – Tomara que você erre (azar buticão dendê, pra tu perder)
AZUADO – Pertubado
AZURETADO – Invocado

BABA – Racha, pelada
BABATAR – Querer pegar em algo e não conseguir
BACIO – Penico
BACURI / BACURIM – Criança recém-nascida; filho
BADAMEIRO – Pessoa que vive de catar coisas no lixo
BADOGUE – Atiradeira
BADOGUEIRA -Mulher feia (ver também jaburu)
BAGANEIRO – Atacadista do interior que vende nas feiras da capital
BAGO MOLE – Lento (pessoa)
BAGUNHAR – Segurar firme; tomar algo na raça
BAHIA / BAHÊA – Cara (ô bahêa, quanto é isso aqui?)
BALEADO – Queimado (jogo)
BANANA-MOLE – Lento, lerdo ou devagar
BANCA – Estudo particular (meu filho faz banca de português)
BANDA – Pedaço, parte
BANDA-VOOU – Cuca fresca, pessoa largada; quem topa tudo
BANHA-DE-CACAU – Manteiga de cacau
BANHO-DE-CUIA – Lençol (futebol)
BARANDÃO – Pedra para tirar arraia presa; brincadeira infantil
BARÃO – Gente rica, milionário
BARONA – Milionária; madame
BARRIGA-DE-PURGA-PRENHA – Barriga grande
BARRUFAR – Assoprar com a boca cheia de água
BATER A CAÇULETA – Morrer
BATER FIXE – Dar um pau firme em alguém
BATER NO FUNDO – Bater na traseira (carro)
BATER UMA CAIXA – Levar um papo
BATEU NA PIÇARRA – Já era, coisa ultrapassada
BEINHO – Benzinho
BEIÇADO – Mal cortado (pano ou papel)
BELISQUINHO – Beliscão pequeno
BEQUITRANQUE – Esporro, regulagem (dar um bequitranque ou levar um bequitranque)
BESTAGEM – Bobagem, babaquice
BESUNTADO – Sujo
BEXIGADO – Pintado, manchado (rosto)
BIBIANO – Lamparina, candeeiro
BIRIBANO – Pivete, moleque
BISAGA – Dobradiça
BISPAR – Sacar, moleque
BOA-BISCA – Que não corresponde, que não se esperava (aquele cara é uma boa bisca!)
BOCA-DE-ZERO-NOVE – Lugar de se dar mal
BOCA-DE-LOBA – Bueiro
BOCA-DE-SAMBA-CANÇÃO – Boquirroto, falastrão
BOCA-DE-TRAVE – Pessoas sem os incisivos superiores
BOCABERTO – Estarrecido, surpreso; abobalhado
BOCADA – Local perigoso; coisa boa
BOCAPIU – Sacola de palha; recomendação para ficar de boca fechada ao saber de um segredo
BODOSO – Mal cheiroso, sujo
BOIADO – Cansado
BOIAR – Cansar
BOLACHA – Biscoito
BOLACHA-QUEBRADA – Moleza, negócio de oportunidade (comprei esse carro barato, uma bolacha-quebrada!)
BOLINHO-DE-ESTUDANTE – Bolinho de tapioca
BOLODÓRIO – Confusão; conversa fiada
BOMBEIRO – Frentista de posto
BOMBOM – Bala (ver também confeito e queimado)
BORA? – Vamos? (bora brincar?)
BORBOLETA – Torniquete de ônibus
BORIMBORA – Vamos embora
BORRACHUDO – Ônibus
BORRÃO – Rascunho
BOTAR GOSTO RUIM – Melar, atrapalhar um negócio; perturbar; colocar defeito
BOTAR PILHA – Botar fogo, estimular briga
BOZENGA – Mulher feia, de baixo astral
BOZENGAR – Soltar a franga, galinhar
BOZÓ – Despacho de macumba
BRAGUEADO -Cansado , atrapalhado
BRAU – Cafona; de mau gosto
BREADO – Sujo
BREFA – Segunda de cigarro; baile popular
BREGUECES / BREGUEÇOS – Móveis e utensílios, coisas de alguém (carregue logo seus bregueços!)
BRINCAR DE CAPITÃO – Brincar de jogar pedrinhas
BRÔCO – Desorientado, desordenado; velho esclerótico
BODUM – Fedor
BUFENTO – Empoeirado (tecido de dor escura quando vai perdendo a cor ou recebe poeira)
BUJÃO – Gordinha das ancas largas
BULIR – Mexer, tocar (não bula aí, menino!)
BURNIR – Lustrar, polir
BURUCUTU – Aí então, dessa forma (eu tava correndo e, burucutu, caí)
BUZU – Ônibus
CABEÇA-DE-ARROMBA-NAVIO – Cabeça grande
CABEDAL – Patrimônio
CABELO-DE-ARAPUÃ – Cabelo assanhado, desgrenhado
CABELO NINHO-DE-QUEREQUECHÉ – Cabelo desgrenhado
CABORÉ – Bule de café de barro
CABO-VERDE – Negro de cabelo fino ou liso
CACARECO – Mudança de pobre, bagulho
CACHAÇÃO – Tapa na cabeça ou no pescoço
CACHORRO MAGRO – Quem come na casa de alguém e sai logo em seguida
CACO – Vaso de planta
CAFÉ CHOCO – Café requentado
CAFÉ COM LEITE – Criança que entra na brincadeira, mas não é à vera, não são contados seus pontos
CAFUA – Lugar pequeno e apertado; lugar de bagulho
CAGADO E CUSPIDO – Idêntico, muito parecido
CAIR CACAU – Chover
CAIR MATANDO – Comer tudo; não deixar falar; dar porrada
CAIR NA TACA – Apanhar (ele mentiu, aí caiu na taca)
CAIXÃO E VELA – Morreu aí, não há mais o que fazer; dançar em alguma coisa
CALANGO VERDE – Soldado do exército
CALCETEIRO – Quebrador de pedra; assentador de paralelepípedo
CALÇOLA – Calcinha
CALIFON – Sutiã, porta-seios
CAMBITO – Perna fina
CAMPADO – Fudido (tô campado!)
CANETAR – Entregar alguém, dedurar (ver encanar); multar (O guarda canetou seu carro!)
CANGALHA – Cambota, de pernas arcadas
CANGANHA – Confusão
CANGANHEIRO – Que procura confusão, encrenqueiro, que cria caso, que dificulta as coisas
CANGUINHA – Pão-duro
CANGUINHAGEM – Pão-durismo
CANTIPORA – Recipiente de metal para sorvete caseiro, que o vendedor usa na rua
CÃO CHUPANDO MANGA – Diz-se de alguém bom em alguma coisa (no voleibol, Daniel é o cão chupando manga!)
CÃO DE CALÇOLÃO – Diz-se de alguém bom em alguma coisa; coisa ou pessoa feia, horrorosa
CAPOTE – Casaco de frio; carne com uma capa de gordura por cima
CAQUEIRO – Vaso de planta
CARA-DE-FUINHA – Pessoa com o nariz achatado ou defeituoso
CARECER – Precisar (carece não, viu?)
CARNE-DE-FUMEIRO – Carne de porco defumada
CARNE-DE-PESCOÇO – Pessoa difícil de tratar; teimoso
CARNE-DE-SERTÃO – Carne-seca
CARNE-PASSADA – Carne moída
CAROARA – Tremedeira nas pernas
CARTEIRA – Mesa de trabalho
CASQUINHA – Pão–durismo
CATIOPIU – Transa sexual (jogar um catiopiu)
CATROCA – Cambota
CAVALINHO – Papa-fumo (inseto)
CAXIXE – Grilagem
CERCA-LOURENÇO – Frescura, nove-horas, complicação (esse cara tá cheio de cerca-lourenço!)
CERTA FEITA – Uma vez (certa feita eu ia passando por ali e…)
CEVADO – Gordo, forte
CHAMAR CACHORRO DE CACHO – Estar totalmente bêbado, não pronunciando mais as sílabas finais das palavras
CHAMAR HUGO – Estar vomitando por estar embriagado
CHAPA – Dentadura
CHAPARIA – Lanternagem
CHAPISTA – Lanterneiro
CHAVE-DE-CADEIA – Mulher que dá encrenca
CHAVE-DE-ENGENHEIRO – Chave inglesa com regulagem
CHAVECAR – Encher o saco
CHECRETÉ – Doido, abilolado
CHEGA FIQUEI – Até fiquei (corri tanto que chega fiquei com dor de facão)
CHEGUE – Vem cá (chegue, meu nego, cheque)
CHEGUE À FRENTE – Entre, participe da conversa
CHEGUE MAIS – Vem cá, chega pro grupo, entre na minha
CHEGUEI – Qualidade de um objeto de cor viva, que chama atenção (a roupa dela é muito cheguei)
CHEIO DE EFES E ERRES – Cheio de onda, metido
CHEIO DE GUÉRI-GUÉR – Cheio de onda
CHEIO DE NÓS PELAS COSTAS – Alguém enrolado, complicado
CHEIO DE NOVE-HORAS – Cheio de complicação, enrolado
CHEIO DO PAU – Bêbado
CHEIRANDO A ALHO – Novinho (rapaz, o carro de Lena tá cheirando a alho!)
CHIADA – Reclamação (deixe de chiada! ou então: esse cara é cheio de chiada
CHIMANGO – Biscoitinho de vento
CHORORÔ – Choradeira (quando eu fui embora foi o maior chororô.)
CHOVENDO E FALTANDO ÁGUA – Paqueras mil e não rola nada
CHUPA-MOLHO – Carne de segunda com osso
CHUPETA – Sola (futebol)
CHURRIO – Vaia
CINTURÃO – Cinto
CLASSIFICADOR – Pasta de papelão (escola)
COBERTA – Lençol
COCADA – Cupido, leva-recados de namoro
COCADA-DE-AMENDOIM – Pé-de-moleque
COM CERTEZA – Pode crer (usado sempre como interjeição, respondendo afirmativamente)
COM CERTEZA, SEM MEDO DE ERRAR! – Usado como interjeição, geralmente como reforço de uma fofoca ou gozação
COMER ÁGUA – Beber (bebida alcoólica)
COMER BARRO – Comer mosca, vacilar
COMER COM COENTRO – Fazer algo com facilidade
COMER COM FARINHA – Fazer algo facilmente (isso aí é mole, eu como com farinha)
COMIDILHA – Roubalheira, corrupção
COMO QUÊ – Pra cacete (o café tá quente como quê!)
COMO SEM FALTA – Sem falta (te entrego amanhã, como sem falta)
COMONGOL – Combongó
CONFEITO – Bala (ver também bombom e queimado)
CONSUMIÇÃO – Encheção de saco; agonia; preocupação
CORRENTE – Gente fina, amigo de fé; cordão (jóia)
CORRER (A CASA) – Visitar, conhecer a casa
CORRÓ – Pequeno, de menor
CORROPIO – Rodopio
CORTAR VOLTA – Ficar enrolando pra contar alguma coisa (conte logo, rapaz fica aí cortando volta, ôxe!)
COURO COMEU – Houve briga (aí o couro comeu!)
COURO-DE-PICA – Alguém chato, enrolado (pô, cara, você é mais enrolado que couro-de-pica!)
COZINHAR O GALO – Enrolar, fazer corpo mole
CRECA – Ferida infectada; pontos de ferrugem em carro
CRENDEUSPAI! – Creio em Deus Pai!
CRIAR CABELO – Deixar o cabelo crescer
CRIATURA – Pessoa, alguém (conheci uma criatura…)
CU-DE-BOI – Confusão
CU-DE-SANTO – Caxias
CUBAR – Ficar na espreita, vigiar
CUCURUTE – Cascudo, cocorote
CULHUDA – Mentira
CULHUDEIRO – Mentiroso
CUNZINHA – Cozinha
CURIAR – Olhar ou observar com curiosidade
CURRUTE – Diz-se do cereal duro, mal cozido (o feijão tá de currute)
CURRIÃO – Cinto
CUSPIDO E ESCARRADO – Idêntico, muito parecido
CUXIM – Assento
CUZICADO – Remendado
DA RETRINCA – Do caralho, do cacete
DADA – Simpática, agradável, prestativa (Alice é uma pessoa muito dada)
DAQUI PRA – Até (daqui pra sexta-feira eu te entrego)
DAQUI PRALI – Logo, de imediato (pra esse cara arrumar confusão é daqui prali!)
DAR – Tomar aula de (hoje dei física e inglês na escola)
DAR BIRRO – Dar calote
DAR BROCA – Dar uma porrada
DAR COM A MÃO – Dar adeus; fazer sinais
DAR ESPETO – Dar calote
DAR LÍNGUA – Fazer careta
DAR NO COURO – Conseguir transar; conseguir fazer alguma coisa
DAR NOME – Falar palavrão
DAR O GÁS – Se mandar
DAR O LEITE – Dar a dica, dar o macete
DAR OZADIA – Dar espaço para, dar uma brecha (deu ouzadia… agora, todo dia, ele vai querer um pouquinho.)
DAR RASTEIRA EM COBRA – Cambalear (bêbado)
DAR SUSTANÇA – Dar forças, dar tesão (caldo de sururu dá uma sustança!)
DAR TESTA
Enfrentar, reagir à altura
DAR TRELA – Dar corda, alimentar conversa; dar moleza
DAR UM AGRADO – Dar uma gorjeta
DAR UM AMASSO – Dar um arrocho, tirar um sarro
DAR UM BEIÇO – Dar um beijo, fazer carinho
DAR UM NÓ – Driblar (futebol)
DAR UM PARADEIRO – Parar
DAR UM PITÓ – Dar uma bronca, dar um esporro
DAR UM SALTO NA CIDADE – Ir à cidade
DAR UM SEIXO – Dar calote, sair sem pagar
DAR UM TANGOLUMANGO – Dar errado de repente, de forma imprevista; ter um acesso de raiva
DAR UM TIRO – Pedir preço muito alto por alguma coisa (pô quando eu perguntei quanto era, o cara deu umtiro retado!)
DAR UM TRANCO – Dar um arrocho, tirar um sarro (ver também dar um amasso)
DAR UMA DURA – Dar um corte em alguém
DAR UMA INCERTA – Chegar de repente sem avisar, para fiscalizar algo
DAR UMA REGULAGEM – Dar um esporro
DAR UMA ROUBADA – Dirigir um pequeno trecho na contra-mão
DE ACORDO A METRAGEM – Conforme o tamanho
DE BICUDA – De bico (futebol)
DE BOMBEIRA – De bobeira
DE BOTUCA – Olhando, corujando (tô aqui só de botuca)
DÊ CÁ – Me dá (dê cá isso aí, menino!)
DE CAJU EM CAJU – Uma vez ou outra
DE FULANO – Do fulano (esse lápis é de Maria)
DE GRUPO – Mentiras (Clarissa, você tá de grupo comigo!)
DE HIPÓTESE ALGUMA – Em hipótese alguma
DE HOJE – Há muito tempo (de hoje que eu tô aqui esperando!)
DE HOJE A OITO – Semana que vem
DE HOJE A QUINZE – Daqui a quinze dias
DE JEITO E QUALIDADE – De forma alguma
DE JUNTO – Perto, próximo
DE MARCA – Objeto de loja ou griffe famosa
DE MEIA NOITE – À meia noite (só durmo de meia noite)
DE MENOR – Menor de idade
DE PAULISTA – De charle (futebol)
DE PREGA – O mesmo que “na prega”, à toa coçando o saco
DE PRIMA – De primeira (futebol)
DE REVESGÜELA – De raspão
DE RUMA – Muito, de montão
DEBAIXO DA SAIA – Entre as pernas (futebol); protegido, apaniguado
DEDEIRA – Bola de jogo (gude)
DEFRONTE – Em frente
DEIXE ESTAR!… OU DEIX’STAR!… OU DESTÁ – Cê vai ver!… (deix’star, jacaré, que seu dia chega!)
DELEGADO – Cara que não solta a bola
DENTE QUEIRO – Dente siso
DENTRO D’ÁGUA – Na pior, numa bananosa
DEPENDURADO – Perdurado (fica aí o dia inteiro dependurado no telefone!)
DERRUBADO – Feio, desajeitado, fudido
DESACERTO – Azar (ando dando o maior desacerto na vida, cara!)
DESANDAR (O BOLO) – Perder o ponto da massa (ih, Adriana, seu bolo desandou!)
DESAPARTA-PUTA – Perfume barato; o mesmo que espanta nigrinha
DESAPARTAR – Separar
DESASNAR – Aprender algo; deslanchar, pegar o pique
DESASSUNTADO – Sem vergonha
DESBUSSOLADO – Perdido, desorientado
DESCALQUEADO – Sem planos
DESCAMBIXADO – Desanimado, com ar de cansado
DESCANSAR – Parir
DESCARAÇÃO – Pouca vergonha
DESCARGO – Desencargo
DESCARREGO – Desencargo (vamos testar, só pra descarrego de consciência.)
DESCASCAR UMA – Bater punheta
DESCOMPOSTURA – Esporro, bronca (passei-lhe uma descompostura!)
DESCOMPREENDIDO – Que não se manca
DESEMBORCAR – Desvirar, colocar em pé direito (Lourdinha, desemborque esse sapato senão a mãe morre!)
DESENCHER – Esvaziar (desencha a bola aí, Samurai!)
DESENFASTIOSO – Que tira o fastio, que faz digestão
DESENXABIDO / DESENXAVIDO – Fora do ar, sem tesão, desanimado
DESMARCADO – Quem tem cacete grande, fora do normal (ver também rendido)
DESMENTIR – Contundir, destroncar (eles desmentiu o braço)
DESMILINGUIDO – Sem graça; desconjuntado
DESPACHADO – Eficiente, safo
DESPAGINADO – Perdido, desorientado
DESPARTIDO – Desvantagem (dois contra um é o maior despartido)
DESPELAR – Descascar (a pele, queimada de praia)
DESPINGUELADO – Rápido; desarrumado; acabado
DESPIROCADO – Maluco, louco, azuado
DESPONGAR – Descer do ônibus, do trem ou do bonde
DESTABOCADO – Puto da vida
DESTORCER – Alinhar, acertar (destorcer o arame)
DESTRAMBELHADO – Desarrumado, desajeitado
DESTROCAR – Trocar (dinheiro)
DEUS É MAIS! – Podes crer!
DEUS QUE ME LIVRE – Deu me livre
DEZ-PRAS-DUAS – Pessoa que anda com os pés virados para fora (vai até quinze-pras-três…)
DIA DE SEXTA-FEIRA – Às sextas-feiras (só passeio dia de sexta-feira). Vale para qualquer dia
DIBICAR – Gozar, fazer pouco caso
DIGAÍ! – Cumequié?, o que é que há?
DIZER DIXOTE – Falar piadinha, jogar indiretas; debochar
DIZER LIBERDADE – Ser petulante, falar com o respeito
DOR DE CORNO – Dor de cotovelo
DOR DE FACÃO – Dor no baço (depois de algum esforço)
DOR DE VIADO – Dor no baço
DOR DE VIÚVA – Choque com o cotovelo
DORDOLHO – Terçol
DOS TEMPO – Há muito tempo
DOZE HORAS DA NOITE – Meia-noite
DOZE HORAS DO DIA – Meio-dia
É GRAÇA?! – É mole?!; você já sabe, né? (para pessoas, quando alguém arma alguma coisa: Marilza é graça?!)
É NINHUA – Nada pra você (qual é a sua? é ninhua, rei!)
É TACA! – é difícil!
É UMA MOÇA – Diz-se de alguém muito educado (João Barão é uma moça!)
ECLÉR – Fecheclér, zíper
EDCÉTERA – Etcétera
EMBORCAR – Virar de cabeça ou de boca pra baixo (Madalena, quem mandou emborcar esses copos?)
EM COMUNICAÇÃO – Ocupado (telefone) (te liguei, mas seu telefone tava em comunicação direto!)
EM DIAS – Em dia
EM DOIS – Nós dois, éramos dois (nós fomos em dois)
EMBOLAR (O CARRO) – Falhar o motor
EMBRECHADA – Grávida
EMPATA-FODA – Pessoa inconveniente, que aparece na hora errada
EMPATAR – Perturbar, atrapalhar, (você tá empatando meu trabalho)
EMPAXADO – Que comeu além da conta e não: fez a digestão
EMPENCADO – Acompanhado de um monte de gente
EMPERIQUITADA – Elegante, toda arrumada
EMPESTEADO – Cheio de alguma coisa, infestado (ópaisso, Daniela tá com a cabeça empesteada de piolho!)
EMPINAR ARRAIA – Soltar pipa
EMPLEITEIRO – Empreiteiro
EMPRENHAR-SE PELO OUVIDO – Dar ouvido a fofocas
ENCAFIFAR – Ficar intrigado; ficar surpreso e na sua; ficar recolhido
ENCANADOR – Dedurar (vou te encanar pra mainha)
ENCARCADINHO – Alguém sem pescoço
ENCARCAR – Enfiar apertado; enfiar tudo
ENCOSTO – Feitiço, mau olhado
ENCRUADO – Ressecado
ENCURTAR CONVERSA – Resumir, finalizar (… pra encurtar conversa, aí ele chegou e resolveu o problema)
ENFASTIADO – De saco cheio, desanimado
ENFATIOTADO – Enfeitado, bem arrumado (ver emperiquitada)
ENFIAR BUFA NO CORDÃO – Passar o tempo livre de obrigações, ficar à toa
ENFONAR – Não cumprir um compromisso, dar bolo
ENFUSADO – Guardado, preso, recolhido (Josete vive enfusada dentro de casa, estudando)
ENGALANADO – Enfeitado para desfile
ENGARGUELAR – Enforcar
ENGRISILHA – Rolo, coisa enrolada, confusão
ENGROSSANTE – Mingau de farinha de mandioca ou maizena
ENGÜIAR – Engolfar; engasgar; enjoar
ENRICAR – Ficar rico, enriquecer
ENROLADO NO XALE DA DOIDA – Cheio de coisas pra fazer e confuso – (Nico Barão vive enrolado no xale da doida)
ENROLAR (O VOLANTE) – Virar o volante, fazer uma volta
ENROLAR – Embrulhar (enrola pra mim dois pacotes de manteiga)
ENTOJO – Enjôo de mulher grávida
ENTRUPICAR – Tropeçar
ENTUPIDO – Com prisão de ventre (Aline, não coma araçá pra não ficar entupida!)
ENXAME DE GENTE – Muita gente
ESBREGUE – Bronca, carão
ESBUGUELADO – Estragado, arrebentado
ESCALIFADO – estragado
ESCALIFAR – O mesmo que destruir
ESCANCHAR – Colocar uma criança na cintura com as pernas abertas
ESCAPULIU, TUDO ARREIA! – Jogou, tá jogado!
ESCARREIRADO – Apressado
ESCORNADO – Muito cansado (esparramado); de ressaca
ESCORREGA,, SEBOSO! – Corta essa!; sai dessa!
ESCORRIMENTO – Corrimento vaginal
ESMAGRECER – Emagrecer
ESMOLÉR – Mendigo
ESPALITAR – Palitar os dentes
ESPANTA-NIGRINHA – Perfume barato
ESPARRO – Fria (o cara entrou (caiu) no maior esparro!)
ESPERDIÇAR – Desperdiçar
ESPERRETETÊ – Esporro, barulho
ESPINHELA CAÍDA – Dor no peito
ESPÍRITO-SANTO-DE-ORELHA – Leva-recados, fofoqueiro
ESPORRETEADO – Cara da cabeça quente, pavio curto
ESPREME-GATO – Gata-espremida (brincadeira infantil)
ESSA MENINA – Tipo de tratamento vocativo: – ô essa menina, venha cá!
ESTILO – Educação (tome estilo, Fabiana!)
ESTOUVADO – Grosseiro; estabanado
ESTRAMBÓLICO – Complicado, enrolado
ESTROPIADO – Todo ferido
ESTUQUIADO – Arrepiado (cabelo)
ESTUQUIAR – Cortar, desbastar o cabelo
ÊTA! – Poxa!
EU MESMO NÃO – Eu não (eu mesmo não gosto de cinema)
FÁBRICA – Escola pagou-passou
FALAPAU – Cachaçada, farra
FALAR MAIS QUE A NEGA DO LEITE – Falar muito
FALAR OZADIA – Falar palavrão ou de coisas obscenas
FANTA – Cassete de polícia
FANTASIA – Bijuteria
FARDA – Uniforme escolar
FARINHA DE GUERRA – Farinha de mandioca
FARÓFIA – Farofa
FASTIADO – Enjoado (ver empaxado)
FATIA-DE-PARIDA – Rabanada
FÁTIMA – Esmalte de unhas
FAZ BEM UMA HORA – Há uma hora
FAZEDOR-DE-ANJO – Médico ou leigo que faz aborto
FAZENDA – Pano, tecido (me dê três metros dessa fazenda aqui)
FAZER – Dizer (aí ele fez assim…)
FAZER A FORÇA – Trocar, consertar o pneu furado
FAZER BODE – Roubar objetos da empresa onde se trabalha
FAZER ENXAME – Juntar gente, fazer estardalhaço
FAZER FIGA – Causar inveja; torcer
FAZER MAL – Desvirginar
FAZER NERO – Fazer touca no cabelo
FAZER O BALÃO – Fazer o retorno (no trânsito)
FAZER TERRA – Tirar sarro em ônibus cheio (com gente desconhecida)
FECHA A PORTA, MARIA – Dormideira (plantinha que se fecha quando tocada)
FEBRENTO – Zangado
FEIÇO – Mau cheiro
FETO – Espécie de samambaia (Gisa tem um monte de feto em casa)
FICAR DE GRANDE – Ficar de fora e por cima, na maior
FICAR DE RECUPERAÇÃO – Ficar de segunda época
FICAR NO BARRICÃO – Ficar pra titia
FICAR PRONTO – Ficar “legal” após beber algo, ficar alto
FICHINHA – Coisa fácil; pessoa inexperiente ou fraca em alguma coisa
FIFÓ – Lamparina
FILAR AULA – Matar aula
FILHO PECO – Filho abortado
FILIPINHO – Banana geminada
FIM-DE-LINHA – Ponto final; área nas cercanias do ponto final do ônibus
FIQUE, VIU? – Ameaça de agressão, para que alguém deixe de pertubar o outro
FITEIRO – Alguém que faz fita; que tira onda
FITIFIU – Vaia
FOI MAL – Desculpe
FÕINHA – Pessoa fanha, fanhoso
FOLOZADO – Folgado, desrregulado; caindo aos pedaços
FONHÉM – Pessoa fanha, fanhoso
FORA À PARTE – Fora, não incluído
FORA DO TEMPO – Desrregulado (carro)
FORRAR (O LIVRO) – Encapar o livro
FOVEIRO – Desbotado, esmaecido
FRAÇÃO IMPRÓPRIA – Mulher de ombros largos e quadris estreitos
FRASCO – Qualquer tipo de recipiente de vidro
FREGUÊS – Usado tanto para o vendedor como para o comprador (ô freguês, me dê um caranguejo aí!)
FREN – Amigo, cara (corruptela de friend)
FRETAR – Flertar, se abrir
FRIGIDÉR – Geladeira
FRISAR (O CABELO) – Cachear o cabelo
FRIZA – Freezer (Neguinho, bote a cerveja na friza!)
FUBAZENTO – De cor cinza, esmaecido
FUBENTO – Sem cor, sem brilho, desbotado
FUBUIA – Cachaça, cana, cachaçada (hoje vou tomar umas fubuias)
FULINHA – Calendário, folhinha
FULUSTRECO – Fulaninho de segunda categoria
FUNCIONAR (O MOTOR) – Ligar o motor do carro
FURA-PÉ – Jogo de infinco (brincadeira infantil)
GABINE – Cabine
GABIRU – Caipira, gente da roça
GAIA – Chifre (relativo a corno)
GAITADA – Risada alta, gargalhada
GAIVA – Papo furado
GALA-RALA – Diz-se do homem que não consegue fazer filhos
GALALAU – Magro e alto
GALEO – Louro
GALERA DO MAL – A turma, a patota
GALINHA GORDA – Jogar pro avanço, jogar prendas pra a molecada disputar
GALUPIM – Tênis (sapato)
GAMBIARRA – Amante, namorada sem compromisso
GANANÇA – Ganância
GANCHO (DA CALÇA) – Gavião (parte da calça entre a cintura e as costas, passando por entre as pernas)
GANHADOR – Carregador em estações de trem
GANHAR PRA ALGUÉM – Ganhar de alguém (Cyntia, ganhei pra você, viu?)
GARAPA – Qualquer refresco muito doce
GARGANTEIRO – Quem fala muito
GÁS – Querosene
GASOSA-DE-LIMÃO – Refrigerante (soda limonada)
GASTURA – Nervoso (quando o giz escorrega no quadro: “não faz assim, me dá a maior gastura”); sensação de fome contínua
GATA – Empreiteira fajuta
GAZO – Louro sardento
GELADINHO – Sorvete no saquinho
GINGE – Nervoso (quando o giz escorrega no quadro) (ver gastura)
GRADE (DE CERVEJA) – Caixa de cerveja
GRAFITE – Lapiseira
GRANDE – Cara (vocativo) (ô grande, dê uma ajuda aqui.)
GRAXEIRA – Empregada doméstica
GRUDENTA – Pessoa carente que requer atenção em demasia, viscosa
GUARANÁ – Qualquer refrigerante (me dê um guaraná de limão aí!)
GUERROU! – Salve! (na brincadeira de pique-esconde)
GUINDÃO – Guidom
GUNHO – Puxada rápida da pipa
GURITA – Guarita
HÉURIS – Cara (qual é, meu héuris?)
HOME QUÁ, ORA VEJA! – Me deixe!
HOME QUÁ, SINHÔ, ME DEIXE! – Me deixa em paz!
HUMILHANTE – Ônibus
JABURU – Mulher feia (tremendo jaburu!) (ver também badogueira)
JANTE – Roda (de carro)
JEGUE-MANSO – Come-quieto
JOGAR O BARRO NA PAREDE – Jogar uma indireta prá ver se cola
JOGAR OS CAJÁS – Botar pra quebrar
JÓQUEI DE CABRITO – Pessoa de baixa estatura
LÁ ELE – Outra pessoa, não eu
LAMBICADO – Com o nariz lambuzado, escorrendo
LAMBISGÓIA – Mulher magrinha e sem graça
LAPISEIRA – Apontador de lápis
LASCAR – Rasgar
LATRINA – Vaso sanitário
LAVANDERIA – Tanque
LAVAR A JEGA – Se dar bem, lavar a égua
LAVAR A PINTURA – Lavar o carro só por fora
LAVAR ROUPA DE GANHO – Lavar roupa pra fora
LENHADO – Em má situação, em mau estado.
LER DE CARREIRINHA – Ler depressa
LESEIRA – Preguiça
LESO – Bobo (ele é todo leso)
LEVAR BACULEJO – Ser revistado pela polícia
LEVAR UM CHEPO – Levar um fora
LERA – Ironia, gracinha, provocação
LEXÉU – Carro em mau estado; esculhambado
LIBERTA – Avançada, galinha (usado geralmente para as mulheres)
LICENÇA / CENÇA AÍ – Licença (em brincadeiras infantis: “Estátua! licenciado, Daniel mudou de posição!”)
LIGANTE – Mistura alcoólica, tipo batida, que faz a cabeça rapidinho
LIMAR – Queimar, tirar da jogada, deixar de fora
LISAR A ROUPA – Passar a roupa
LISO, LESO E LOUCO – Duro, sem grana
LORDE – Arrumado, educado
LOURA-A-PULSO – Falsa loura, loura oxigenada
LUTRIDO – Ousado, metido
MACHUCADO – Amarrotado (o paletó tá é machucado!); machucar (uma fruta); Amassar (mainha, hoje quero banana machucada com leite Ninho!)
MADORNA – Sesta
MAGAREFE – Pessoa que mata e esquarteja o boi
MAGOAR – Machucar um lugar já machucado
MAIS – Com (Eu vou mais Flávia pra Morro de São Paulo)
MAIS EU – Comigo (você vai mais eu?)
MAIS LOGO – Logo mais
MAIS NUNCA – Nunca mais
MAL DOS QUARTOS – Nevralgia ou dores nos quadris
MALAMANHADO – Desarrumado; mal feito
MALASSADO – Carne frita e cozida (mal passada)
MALDAR – Agir ou concluir com malícia
MALESTROSO – Mau elemento, marginal
MALFAZEJO – Tarado
MALINAR – Traquinar, perturbar
MALINO (MENINO) – Menino perturbado, que mexe em tudo
MALMENTE – Mal (ele malmente sabe falar o português, que dirá inglês)
MAMÃO – Carro com a lanternagem estragada ou mal feita; serviço ou coisa mal feita; mulher feia
MANDU – Problema, confusão (resolva seu mandu)
MANGANGÃO – Autoridade; manda-chuva
MANGUE – Confusão
MÃO-DE-FIGA – Pão-duro
MAREADA – Aérea, solta (no carnaval, Salvador fica mareadinha, mareadinha…)
MARINETE – Ônibus
MARRETEIRO – Caloteiro, trambiqueiro
MASSA! – Legal! jóia!
MASSA REAL! – Legal!, jóia!
MATRACAR – Falar mal da vida dos outros (êta, Renata, pare de matracar!)
ME BATA UM ABACATE! – Peraí, qual é, essa não!
ME FAÇA UMA GARAPA! – Peraí, qual é, essa não!
ME FIAR – Confiar (Dadinha, vou me fiar em você na prova amanhã, viu?)
MEALHEIRO / MEAEIRO – Cofrinho de dinheiro (porquinho)
MEDECÊ – MDC (máximo divisor comum)
MÉDIO – Mais ou menos
MEEIRO – Mais ou menos; sócio
MEIA-FODA – Cara pequeno, de baixa estatura (ver tamborete de puta)
MELADINHA – Cachaça com ervas que se serve para festejar o nascimento de um bebê
MELADO – Cheio de cachaça, bêbado (ver cheio do pau)
MELAR – Sujar
MEMECÊ – MMC (mínimo múltiplo comum)
MENORZINHO – Cafezinho
Merenda – Lanche
MERENDADO – Bêbado; maconhado
METIDO A GÁS-COM-ÁGUA – Pernóstico
MEU BOM – Meu chapa
MEU BRANCO – Meu chapa, meu amigo
MEU LOURO – Meu chapa, meu amigo (vocativo)
MEU NEGO – Meu filho, meu chapa (chegue meu nego, chegue)
MEU PAI / MINHA MÃE – Pai / mãe
MEU PAI – Cara (digaí, meu pai!)
MICARETA – Micareme, carnaval fora de época
MINDUINS – Amendoim (menino gritando na praia: “Ói minduins!”)
MINGAU DE CACHORRO – Mingue feito com farinha de mandioca e água, para quem está fraco
MINHA PRÓ – Professora
MINHA TIA – Vocativo para alguém mais velho (ô minha tia, dá licença aí?)
MIOLO DE POTE – Papo furado
MISSE – Grampo de cabelo
MIUÇALHA – Miudeza
MOCÓ – Sacola de palha (ver bocapiu)
MOCOFAIA – Lugar cheio de bagulho, bagunçado
MOCOFOIADO – Escondido
MOCORONGO – Desajeitado
MOCOTÓ-MOVEL – A pé (fui de mocotó-movel)
MOFINO – Frouxo (pessoa)
MÓI – Molho de verduras (ô freguês, a quanto é o mói de coentro?)
MONDRONGO – Coisa mal feita; de acabamento ruim
MONTAR BICICLETA – Andar de bicicleta
MOQUECA – Além de comida típica, significaa carro com a lataria estragada; mulher feia e pelancuda
MORAL DE JEGUE – Falsa moral
MORCEGAR – Andar pendurado atrás do ônibus
MORDER – Ganhar mulher
MORDER A CORDA – Cozinhar alguém, protelar, não se comprometer

MOROTÓ – Bicho de porco

MORREU AÍ – Fim de papo
MORTA-FOME – Esfomeado; guloso; avarento
MOSSA – Amassado de carro (ou de lata
MOTÔ – Motorista de ônibus
MUDERNO – Jovem, moderno (ele até que é bem muderno!) (assim bem muderninho!…)
MULEMBO – Desarrumado, desajeitado
MURIÇOCA – Mosquito, pernilongo
MUTUCA – Mosquito; trouxinha na cabeça feita com o próprio cabelo
MUVUCA – Festa de última hora
NA BIELA – Sozinho, sem namorado
NA BISTUNTA – Acerto feito sem regra determinada; orçamento de obra feito sem medição
NA CASA – Aqui no trabalho (tá faltando caneta na casa)
NA INTENÇÃO – No pé de alguém, a fim de conquistar ou de perturbar (ele hoje tá na minha intenção)
NA LAMA – Na pior
NA LEVADA – Na onda (rumbora, galera, agora é na levada do reggae!)
NA MÃO GRANDE – Algo feito com poucos recursos, na marra
NA MOLEQUEIRA – De brincadeira
NA MORAL – Numa boa; vá lá… (painho, me dê um dinheirinho aí, na moral)
NA ONZE – A pé
NA PALETA – A pé
NA PINDAÍBA – Na pior; sem grana
NA PIPOCA – Brincar o carnaval sem ser em bloco
NA PREGA – Sem fazer nada (Maricarmen adora ficar na prega)
NA SUA MÃO – Com você (tá na sua mão)
NA TAMPA – No ato, de imediato; na conta certa
NA TORA – À força, obrigado
NÃO CONTAR CONVERSA – Não perder tempo
NÃO DAR VENCIMENTO – Não dar conta, ter algo em excesso (a festa tinha comida que não dava vencimento)
NÃO FAZER “O” COM O COPO – Não saber ler nem escrever
NÃO SAIR DA SAIA – Colar com alguém, não desgrudar
NÃO TEM (…) CERTA – Essa vai ser fogo explicar… Usado para confirmar algo, mesmo que existe algum empecilho (você vai à praia com essa chuva? ôxe, não tem chuva certa!)
NÃO TEM ERRADA – Não há como errar
NÃO TEM NEM PRA ONDE – De jeito nenhum
NÃO VAI DA PRA MELAR – Não vai ser suficiente
NARIZ-DE-CERA – Cara que conversa fiado, enrolador
NEGO-BOM – Doce de banana redondo
NEM TCHUM – Nem te ligo, não quero nem saber
NESSISTANTI/NES’TANTI/NESTANTI – Agora há pouco, neste instante (ele saiu daqui nes’tanti)
NICA – Moeda, níquel
NICO – Mico
NIGRINHA – Alguém de baixo nível ou que só faz cagada
NIGRINHAGEM – Baixaria, baixo astral (deixe de nigrinhagem!)
NÓ-CEGO – Pessoa complicada
NO CORRER – Na região, no pedaço (o bar de Zezinho fica naquele correr das barracas do Rio Vermelho)
NOVE E QUATRO – Nove vírgula quatro (na prova) (tirei nove e quatro, e você?). Vale pra qualquer nota
NUM SABE? – Sabe? (acho que eu vou, num sabe?)
NUM TÔ AÍ NEM VOU CHEGANDO – Nem é comigo
NUM TÔ CUMENO NADA DISSO – Nem vem que não tem, não tô acreditando nessa história
NUM TÁ AÍ NEM TÁ CHEGANDO – Num tá nem aí
PACHOCHADA – Dito insultuoso, ofensa verbal
PACUÇU – Mulher feia
PAGEAR – Adular
PAINHO/MAINHA/VOINHO/VOINHA – Pai / mãe / vô / vó
PALETA – A pé
PALETADA – Caminhada longa a pé
PALETEIRO
Quem anda muito a pé
PALITINHO
Porrinha
PANACUM
Cesto de cipó com alças
PANO-BRANCO – Marcha branca na pela
PÃO-DONZELO – Pão sem manteiga
PAPAGAIO – Urinol para homem no leito
PAPEIRA – Cachumba
PARE, VIU? – Cê para, hein?
PAROANO – Ano que vem
PAROARA – Bobo
PARQUETINA – Qualquer tipo de cera para o assoalho
PASSADEIRA – Travessa de cabelo, diadema
PASSADO – Estragado
PASSAR – Conferir (dinheiro)
PASSAR BATIDO – Passar ligeiro, passar sem notar; entender algo facilmente
PASSAR O TOCO – Conferir o troco
PASSARINHA – Baço de boi frito em fatias
PASSEIO – Calçada
PATACHO – Relógio
PATULÉIA – Povão, ralé, plebe
PAULISTA – Corte da carne com que se faz lombo
PÉ-DE-CABELO – Inflamação da raiz do cabelo, parecida com furúnculo
PÉ-DE-GENTE – Pessoa (não tinha nem um pé-de-gente naquela festa)
PÉ-DE-PLANTA – Muda de planta
PEBA – Tapa na testa; chinfrim; não original; matuto; de má qualidade
PECA – Passada (fruta ou verdura); pessoa sem graça, sem expressão
PEÇA – Buffet, armário
PEDIR PRA MORRER – Sentir uma vergonha imensa
PEGADA – Disputa de pipa (pegada de arraia)
PEGAR NO PÉ – Encher o saco, perturbar, ser insistente
PEGAR NO TOMBO – Empurrar o carro pra pegar
PEGAR O BOI – Conseguir algo com facilidade, se dar bem
PEGAR SEU GUARANI – Pegar moleza
PEGAR UMA APOSTA – Fazer uma aposta
PEGUENTO – Pessoa pegajosa; criança dengosa; grude
PERAINDA – Peraí
PERCATA – Sandália
PERDER A CHAVE -Ficar sem graça, perder o rebolado
PERERÊ, PÃO DURO – Aí, então…
PERIQUITO – Papagaio de papel
PESCAR – Colar (escola)
PIAUI – Cabeleiera “black power”
PICADO – Rápido, apressado (o cara saiu picado.)
PICAR – Arremessar algo, jogar (vou picar isto em sua cara)
PICUINHA – Frescura; detalhe sem importância; intriga
PICULA – Pique de esconder
PILHA – Lanterna
PINGUÇO – Bêbado
PINGUEIRA – Goteira
PINGUELO – Grelo
PINHÃO – Peão de obra
PINHÃOZADA – Peãozada
PINTÃO (MENINO) – Menino perturbado, arteiro
PINTAR – Fazer arte, perturbar (e os meninos, pitando muito?)
PIRIPICADO – Com certeza, você vai ver (piripicado, como eu vou embora.)
PISAR NA MÃO – Ficar bêbado
PISAR NA TRIPA – Estar morto de fome
PITUBOIÃO – Cocô boiando na água
PIXOTE – Alguém fraco em alguma coisa (o Leôncio é um time de pixote mesmo, né?)
PLANTAR UM PEZINHO DE CÁ-TE-ESPERO – Deixa comigo, você vai ver só
PÔ – Talco
POCAR – Furar, estourar (a bola pocou!)
POMBA LERDA – Lento, bobo
PONGAR – Pegar carona; embarcar na idéia de alguém; pegar ônibus ou trem em movimento
PONTA DE GRAFITE – Grafite (de lapiseira)
PONTAS – Roupas, sapatos e qualquer utensílio usado, que se recebe de outra pessoa (Carla vive pegando minhas pontas)
PONTINHO – Embaixada (futebol)
POR HONRA DA FIRMA – Algo feito contra a vontade (só fui mesmo por honra da firma)
POR NOME – Chamado (tinha um cara por nome Zé…)
POR VIDA – Sempre, direto, constantemente (Aloisio tem por vida ficar olhando as meninas)
PORRA, VELHO!…. – Podes crer!…
PORRE – Chateação, saco (a festa tava um porre!)
PORRETA – Legal; gente fina
PORRETEIRO – Caloteiro, trambiqueiro, desonesto
PORTADOR – Quem leva ou pega criança na escola (Lourdinha, seu portador chegou!)
POSSA SER – Pode ser (possa ser que eu vá)
PRA MAIS – Acima do normal (esse menino é pra mais)
PRA PIRÃO – Pra valer
PREGUEIRO – Quem vive “na prega”, à toa, coçando o saco
PRESA – Barragem, represa
PRESILHA – Alfinete
PRIMO CARNAL – Primo irmão, de primeiro grau
PRIMO CARNAL DE BUCK JONES – Alguém sem importância
PROCURAR CONVERSA – Falar demais, ser inconveniente
PROCURAR FRETE – Procurar confusão
PUCUMÃ – Teias de aranha; sujeira no teto
PULAR CANCELA – Pular carniça (jogo)
PULAR DE CABEÇA – Pular de ponta (mergulho)
PULAR MACACO – Pular amarelinha
PUNÇA – Esponja de passar pó-de-arroz
PUNHETA – Bolinho de tapioca
PURGANDO – Escorrendo pus
PURO – Vazio; sem acompanhamento (o copo tá puro; comi feijão puro)
PURRÃO – Vasilhame de barro para armazenar água de beber
PURURUCA – Nem mole, nem dura

Escreva Um Comentário