Fenômeno Katie Ledecky derruba recorde e ganha ouro nos 400m livre



Impressionar o mundo virou uma coisa banal para a americana Katie Ledecky. Com apenas 19 anos de idade, o mais novo fenômeno da natação mundial chocou o Estádio Aquático Olímpico na noite deste domingo (7) ao pulverizar o recorde mundial dos 400m livre e ganhar a medalha de ouro. A noite também ficou marcada pelo primeiro ouro do astro Michael Phelps nos Jogos Rio 2016, o 19º de sua incrível carreira.

Ledecky, campeã Olímpica nos 800m livre em Londres 2012 e dona de cinco ouros no último Campeonato Mundial, em 2015, e quatro na edição anterior, em 2013, nadou para 3min56s46, baixando em quase dois segundos a marca anterior, que era dela própria (3min58s47).

A nova campeã Olímpica dos 400m teve mais de quatro segundos de vantagem para a segunda colocada, a britânica Jazz Carlin, que marcou 4min01s23. O bronze foi para Leah Smith, também dos Estados Unidos, com o tempo de 4min01s92.

“Este tempo foi a meta que tracei depois do Mundial de 2013. É muito bom ter alcançado essa marca. Quase consegui o tempo de manhã. Fiz uma prova muito parecida na final, mas consegui ser mais rápida na última volta. Sou só alegria agora”, comemorou a campeã.

Phelps lidera revezamento 4x100m livre americano

Primeiros a entrar na piscina, Phelps e Caeleb Dressel comemoram o ouro dos Estados Unidos no revezamento (Foto: Getty Images/Clive Mason)

Outro fenômeno das piscinas, Phelps ajudou a equipe masculina do revezamento 4x100m a voltar ao topo do pódio após ter perdido o ouro para a França em Londres 2012. Foi o 23º pódio de Phelps, maior medalhista da história dos Jogos, e seu 19º ouro nas piscinas.

O astro foi o segundo integrante da equipe americana a entrar na piscina e fez a diferença em favor dos Estados Unidos. Phelps entrou na água dois décimos de segundo atrás da equipe da França e saiu da piscina deixando a equipe americana com quase um segundo de vantagem em relação à Austrália, então segunda colocada.

“Foi incrível. Eu estava no bloco de partida esperando Caeleb (Dressel) chegar e parecia que meu coração ia explodir no meu peito. O nível de empogação que senti das arquibancadas, acho que nunca vi nada como isso. Queríamos muito voltar a vencer esta prova”, comemorou a lenda das piscinas.

A equipe terminou a prova com o tempo de 3min09s92 e foi seguida no pódio pela França, que fechou com 3min10s53 e ficou com a prata, e pela Austrália, que levou o bronze com 3min11s37.

Recordes caem em mais duas provas

Nas outras duas finais da noite, mais recordes mundiais foram abaixo. Nos 100m borboleta do feminino, a sueca Sarah Sjostrom fez a melhor marca do mundo ao nadar para 55s48. A prata foi para a canadense Penny Olesiak, que marcou 56s46, e o bronze para a americana Dana Vollmer, com o tempo de 56s63.

Nos 100m peito masculino, o britânico Adam Peaty baixou a marca que tinha alcançado nas eliminatórias e ganhou o ouro com o novo recorde mundial de 57s13. O sul-africano Cameron van der Burgh ficou com a prata com o tempo de 58s69 e o americano Cody Miller levou o bronze com 58s87. Os brasileiros João Gomes e Felipe França disputaram a final e terminaram em quinto e sétimo lugares, respectivamente.

Nesta segunda, estarão em jogo medalhas nos 100m peito feminino, 200m livre masculino e 100m costas nos dois gêneros.

 

fonte: https://www.rio2016.com

Escreva Um Comentário