Em jogo emocionante, Alison e Bruno Schmidt colocam o Brasil na decisão do vôlei de praia

Atuais campeões mundiais de vôlei de praia, Alison e Bruno Schmidt vão brigar também pelo título Olímpico e já tem ao menos mais uma medalha de prata garantida para o Brasil. A dupla se classificou para a final com a vitória por 2 x 1 sobre Alexander Brouwer e Robert Meeuwsen, dos Países Baixos. Foi uma batalha para entrar na história.

“Tinha de ser 2 sets a 1. Tinha de ser sofrido porque os grandes times saem de grandes batalhas, com cicatrizes que podem te fortalecer”, disse Alison após o confronto. Bruno concordou. “O que a gente passou hoje aqui fez a gente subir um degrauzinho, principalmente na parte mental do jogo. Suportar essas situações não é fácil. Não é fácil controlar as emoções ou um terceiro set depois que você teve a chance de fechar o jogo no segundo”.

Os brasileiros entraram em quadra logo depois da derrota da dupla Larissa e Talita para as alemãs Ludwig e Walkenhorst, também pela semifinal. Mas Alison e Bruno não demoraram muito para fazer a torcida, formada principalmente por brasileiros, vibrar de novo. Os bloqueios de Alison e a habilidade de Bruno ajudaram a parceria a abrir uma boa folga no placar e fechar a primeira parcial por 21 x 17.

O bloqueio de Alison, que fez 12 pontos neste fundamento, foi muito importante para a vitória. (Foto: Getty Images/Jamie Squire)

O segundo set foi bem mais equilibrado. O Brasil teve duas chances de fechar o jogo, quando o placar era de 20 x 18, mas parou no bloqueio do gigante Meeuwsen, de 2,07m, e a dupla dos Países Baixos fez 22 x 20.

No set desempate, Alison e Bruno abriram 10 x 7 de vantagem, mas deixaram os adversários virarem para 12 x 11. Quando o placar estava em 14 x 14, um bloqueio de Alison e um contra-ataque de Bruno deram a vitória ao Brasil, que fechou o jogo em 2 x 1.

“Passa um filme de tudo que aconteceu na minha carreira. Sou um iluminado por disputar duas finais Olímpicas”, disse Alison, que foi vice-campeão em Londres 2012, ao lado de Emanuel.

“Não é fácil controlar os sentimentos durante o jogo. Os nossos adversários não se renderam em momento algum, e valorizaram muito a nossa vitória”, completou Bruno Schmidt, que disputa os Jogos Olímpicos pela primeira vez.

Na final, que será nesta quinta-feira (18), a dupla enfrenta os italianos Paolo Nicolai e Daniele Lupo, que venceram de virada os russos Viacheslav Krasilnikov e Konstantin Semenov por 2 sets a 1. Os brasileiros tentaram evitar um clima de euforia de medalha de ouro antecipada ou falar de possíveis comemorações pela vitória. “Acabei um jogo importantíssimo, tenho um dia para descansar, para estudar os adversários do próximo jogo e eu estou muito focado nisso”, disse Bruno.

Parentesco de Bruno com o jogador de basquete Oscar chama atenção da imprensa internacional (Foto: Getty Images/Jamie Squire)

Alison revelou que pretende usar sua experiência de ter já disputado uma decisão de ouro Olímpico em favor da dupla. “O que eu vivi na final com o Emanuel em Londres foi maravilhoso e eu estou usando muita coisa que eu aprendi com ele com o Bruno agora”.

Bruno não pode evitar as perguntas da imprensa internacional sobre seu tio Oscar Schmidt e pelo fato de ter optado por um esporte diferente do de seu parente mais famoso. “Muita gente não sabe, mas ele é o único que joga basquetebol na nossa família. Os outros jogam voleibol ou vôlei de praia. Mas ele (Oscar) é um ídolo para mim.”

 

fonte: https://www.rio2016.com

Escreva Um Comentário