É campeão! Robson Conceição conquista ouro inédito para o boxe brasileiro



De Boa Vista de São Caetano, na periferia de Salvador, para o Rio de Janeiro. Da frustração em Londres 2012 para a triunfal medalha de ouro nos Jogos Rio 2016. Robson Conceição é campeão Olímpico de boxe, feito inédito na história da modalidade no Brasil. Na disputa pelo título do peso leve (até 60kg), ele controlou desde o início o combate e venceu o francês Sofiane Oumiha em decisão unânime dos árbitros.

Robson Conceição se impôs diante do francês Sofiane Oumiha (Foto: Getty Images/Christian Petersen)

Desta forma, o Brasil conquista a sua terceira medalha de ouro nos Jogos Rio 2016, e a sua segunda inédita, após a vitória de Thiago Braz na noite de segunda-feira (15) no salto com vara. “É campeão”, gritou a torcida que lotou as arquibancadas e saudou um emocionado Robson Conceição, ciente do duro caminho que trilhou até esta incrível conquista.

O palco estava montado para o momento de glória do boxeador baiano. As arquibancadas do pavilhão 6 do Riocentro estavam tomadas de camisas amarelas. Todos ali sabiam que o momento era especial e que o feito seria inédito para o boxe brasileiro. “Acho que hoje a vitória vem por nocaute”, palpitou Vinícius Alves, que caprichou no visual: vestiu luvas, protetor de cabeça e a bandeira do Brasil nas costas. “Mas o combate vai ser difícil”, previu. Não foi bem assim.

Vinícius Alves caprichou no visual para presenciar feito inédito (Foto: Rio 2016/Saulo Pereira Guimarães)

O clima era tão verde e amarelo na arena que no combate anterior à final do pese leve, entre o nigeriano Efe Ajaba e o cazaque Ivan Dychko, o público vibrou muito ao saber que um dos cinco juízes era brasileiro. Tudo era motivo para festa neste combate mais do que especial – que contou com a presença do presidente do Comitê Rio 2016, Carlos Nuzman.

“Ô-le-le, ô-la-la, o Robson vem aí e o bicho vai pegar”, gritaram os torcedores precedendo a tradicional batida de pês na estrutura metálica das arquibancadas, causando um barulho ensurdecedor. “Ô, o campeão chegou, o campeão chegou”, cantaram, desta vez todos de pé, ainda antes da triunfal chegada de Robson Conceição. Na sequência, já com o tradicional “uh, vai morrer”, veio o francês Sofiane Oumiha.

Robson partiu para cima e controlou a luta desde o início (Foto: Getty Images/Christian Petersen)

O primeiro round já deu a impressão inicial de um combate franco. Usando da esquiva, Robson partiu para cima encaixando poderosos diretos que furaram a guarda francesa, agora aos gritos de “sou brasileiro, com muito orgulho e com muito amor”. Soberano, já no segundo round levou o publico ao delírio ao acertar um cruzado que quase derrubou Oumiha. Os juízes deram vitória para o brasileiro nos dois assaltos. Ou seja, só uma queda tiraria o ouro do brasileiro.

A queda não aconteceu. Robson Conceição manteve a calma para um terceiro round um pouco mais conservador – a pressão estava toda com o francês. Ou melhor, contra o francês. Ao soar do gongo, com direito a contagem regressiva, Robson comemorou. O adversário baixou a cabeça. Oumiha não foi páreo para um pugilista que se preparou muito para este momento mais do que merecido. “É campeão”, gritaram todos antes mesmo do anúncio oficial.

Escreva Um Comentário