Curiosidades inusitadas que você não sabia sobre tirar sangue


Anualmente, os órgãos de saúde fazem campanhas com o objetivo de conscientizar as pessoas a respeito da importância da doação de sangue, sempre mostrando como apenas alguns minutos e um pouco de boa vontade podem salvar vidas.
Mesmo com tudo o que é dito sobre esse tema, no entanto, existem algumas coisas que muita gente ainda desconhece. São detalhes curiosos que, por vezes, só quem trabalha na área da saúde tem conhecimento.
O detalhe, porém, é que algumas dessas curiosidades a respeito do assunto são absolutamente inusitadas. A seguir você confere alguns exemplos ligados diretamente à doação e transfusão de sangue. Confira!

Coisas que a maioria das pessoas não sabe a respeito de tirar sangue

 

Decisão do hospital

Tomar a decisão sobre a transfusão de sangue parece algo simples, basta fazer sempre que o paciente precisar, certo? Errado. Até onde se sabe, não é bem assim que acontece na prática. De acordo com relato de um médico, ele e sua equipe teve que cuidar de um garoto de 20 e poucos anos, supostamente membro de uma gangue, que foi esfaqueado no intestino.

O garoto passou por transfusão de sangue até que seu organismo estivesse estável a ponto de suportar uma cirurgia, mas para isso o caso teve que passar pela comissão de ética do hospital para que pudessem decidir se ele receberia o sangue. O procedimento foi aprovado e o garoto ficou bem.

Apesar disso, o mesmo não ocorreu com outro paciente que tinha hemorragia gastrointestinal e precisaria de dez bolsas de sangue do tipo “O” todo dia. Isso consumiria todo estoque de sangue do hospital e por isso optou-se por priorizar a outros pacientes.

Os hospitais podem ficar totalmente sem sangue no estoque

Infelizmente, nem mesmo 10% das pessoas que estão aptas tomam a decisão de doar sangue, mesmo que isso seja legalmente uma desculpa para faltar ao trabalho. Isso significa que eventualmente pode faltar sangue no estoque de hospitais.

De acordo com relato de médico, certa vez, ele rezou para que não entrasse ninguém no hospital precisando de sangue, pois só tinham quatro bolsas de sangue em estoque.

Isso ocorre porque muitos hospitais acabam fazendo mais transfusão do que precisa manipulando o sangue de forma incorreta, até desperdiçando e dando mais do que o necessário a um único paciente, o que aliás, pode até levar o paciente à morte por elevar a pressão arterial e reduzir o bombeamento sanguíneo.

Leia também:

Doadores de sangue por vezes mentem sobre a própria saúde

Da mesma maneira que uma grande parte das pessoas aptas se recusam a fazer a doação, há quem insista em querer doar mesmo sabendo que que possui sangue infectado.

Muitas vezes isso acontece porque a pessoa se interessa mais pelo que pode ganhar doando sangue do que com o benefício que vai proporcionar a quem vai receber a doação, especialmente porque alguns bancos de sangue oferecem brindes aos doadores.

Ridículas regras sobre homossexuais

Desde 1977, a FDA não permite que homens que se relacionam com outros homens doem sangue. Isso se deve ao resultado de uma epidemia de HIV à época, combinada com a falta de conhecimento e testes limitados.

Atualmente existe um bom controle sobre o teste de HIV e as chances de se contrair essa doença através de transfusões de sangue é de uma em dois milhões. Mesmo assim, ainda que seja monogâmico e use proteção, um gay não pode doar sangue.

fonte: http://www.clickgratis.com.br/bizarro/

Escreva Um Comentário