Cultura machista faz com que mulheres se sintam culpadas por Assédio

A educação que um número significativo de meninas recebe, ainda nos dias de hoje, faz com que muitas sintam culpa ao serem alvo de assédio masculino. Em geral, prevalece a ideia de que a mulher provocou, não soube se comportar direito ou se proteger.

Enquanto a sexualidade dos meninos é estimulada, acontece o oposto com a das garotas. “As meninas são socializadas para serem controladas e se sentirem culpadas”, diz Viviana Santiago, especialista em questões de gênero da ONG Plan International Brasil, atuante na capacitação e no empoderamento de crianças e adolescentes.

Na cultura machista, os homens crescem em um meio com muito mais liberdade do que as mulheres, geralmente reprimidas em suas escolhas, das roupas às atitudes. Nesse cenário, predomina a visão de que cabe à mulher não se expor ao perigo, abusando de sua sensualidade.

“O homem é visto como um ser indomável, incapaz de se controlar se uma mulher estiver de saia curta”, afirma a psicóloga Paula Licursi Prates, integrante da diretoria da ONG Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde. Na opinião de Paula, as famílias contribuem para a reprodução desses estereótipos, como se fosse natural para os homens ter esse ímpeto e para as mulheres aceitarem essa condição.

Mesmo nos casos de violência, não é incomum que a pessoa agredida sinta vergonha do ocorrido e pense ter colaborado de alguma forma para o abuso. “As vítimas incorporam o julgamento moral, sentem-se responsáveis por aquilo”, declara a defensora pública Arlanza Rebello, coordenadora do Nudem (Núcleo de Defesa dos Direitos da Mulher) do Rio de Janeiro.

Escreva Um Comentário