Candidatos ao primeiro emprego


Participar de programas de aprendizagem é uma boa alternativa para adolescentes e jovens, entre 14 e 24 anos, conseguirem a experiência tão valorizada pelo mercado de trabalho.

Ingressar no mercado de trabalho sem ter a devida experiência não é das tarefas mais fáceis para adolescentes e jovens. Para solucionar esta equação, foi criada em 2000 a Lei da Aprendizagem (10.097), permitindo a formação técnico-profissional de candidatos entre 14 e 24 anos.
Por meio da lei, eles aliam a vivência prática nas empresas e recebem capacitação teórica em instituições credenciadas como o CAMP Oeste. Ele prepara jovens entre 15 e 18 anos em situação de vulnerabilidade social e cursando no mínimo o ensino médio em escola pública para o Curso de Formação Socioeducativa para o Mundo do Trabalho. Os alunos são estimulados a buscar o autoconhecimento e a desenvolver competências, além de receber reforço de Língua Portuguesa, Matemática e a aprender noções de comportamento e empreendedorismo.
Com 15 anos e estudando no segundo ano do ensino médio, Carla Cardoso fez o curso no CAMP Oeste. Hoje, atua como aprendiz na área de RH de uma empresa de Engenharia e diz se identificar com a oportunidade. Centrada, segue aplicando o conhecimento absorvido na instituição de olho em uma efetivação futura. “Busco o aperfeiçoamento constante.”

Também aluno do segundo ano do ensino médio e no CAMP há três semanas, Vinicius Bezerra, 16 anos, tem aprendido conceitos de liderança, a ser respeitoso com as pessoas e a adotar uma comunicação mais formal, de acordo com as exigências do mercado. “São coisas importantes, independentemente do setor de atuação”, diz ele, que deseja trabalhar na área de Dublagem.

Vinicius Bezerra e Carla Cardoso, alunos do CAMP Oeste
Vinicius Bezerra e Carla Cardoso, alunos do CAMP Oeste (Foto: Liliane Lemma)

As  inscrições no CAMP acontecem de 26 a 29 de setembro e  as aulas começam em fevereiro de 2017. Mais informações pelo telefone 3832-2284 ou na Rua João Pereira, 202, Lapa.

Porta de entrada
Outra entidade que seleciona aprendizes é o Instituto Via de Acesso (www.viadeacesso.org.br ou telefone 3809-9400). De acordo com a coordenadora do Programa de Aprendizagem, Ana Christina Fonseca, jovens são capacitados a partir de duas bandeiras: comportamento e sustentabilidade, além de serem orientados em 27 matérias, como noções de arquivo, negociação/gestão de conflitos, atendimento ao cliente, entre outras. “Eles atuarão como assistente administrativo na condição de aprendiz em áreas que têm mais afinidade”, diz Christina.

Para a coordenadora, a aprendizagem é como uma porta de entrada dos jovens para um mundo novo, a exemplo de Ester Soares, 18 anos, que participou da seleção do Via de Acesso e já trabalha como aprendiz na área jurídica de uma grande instituição hospitalar, experiência fundamental para tomar outra decisão, a de fazer Faculdade de Direito já a partir do próximo ano. “É uma via de mão dupla. Recebemos a capacitação, mas precisamos ter comprometimento para nos destacar”, diz.
Da mesma forma, Diego Alisson, 16 anos, que pretende ser clínico geral, viu a oportunidade de atuar na mesma instituição hospitalar na área de Nutrição e se sente satisfeito por estar se familiarizando com a área. “As coisas estão acontecendo naturalmente.”

Mais oportunidades
Por meio do Programa Aprendiz Legal, o Centro de Integração Empresa-Escola – CIEE (www.ciee.org.br) capacitou 15,5 mil aprendizes entre janeiro e agosto deste ano e tem outras 2 mil disponíveis neste momento, número que deve se expandir ainda mais com um novo espaço para capacitação profissional, o Prédio Escola CIEE Vila Mariana, inaugurado na Rua Francisco Cruz, 163, no dia 21 de setembro.

Escreva Um Comentário