7 verdades sobre o cigarro que ninguém tem coragem de comentar


De acordo com o site do INCA (Instituto Nacional de Câncer) o consumo de cigarros per capita por maiores de 18 anos, no Brasil, teve uma queda de 65% entre os anos de 1980 e 2010, sendo que a tendência ao início da queda se tenha dado no final da década de 1990. O ano de 2015 foi o ano que apresentou o menor consumo (aparente) de consumo per capita, mais ou menos 434 unidades.

Apesar de o número de fumantes no Brasil ter, aparentemente, diminuindo, de acordo com o site O Globo, no mundo todo a quantidade de fumantes cresceu 34% nos últimos 32 anos, se aproximando do primeiro bilhão de pessoas fumantes. Apesar de parecer uma informação confusa, ela é explicada pelo fato de que a população mundial praticamente dobrou nesse mesmo período.

É importante lembrarmos que não temos o intuito de criticar, julgar, muito menos impor verdades absolutas. Nosso objetivo é único e exclusivo de informar e entreter. Por isso, o conteúdo dessa matéria se destina a aqueles que se interessarem e/ou identificarem. Sendo assim, a redação selecionou uma listinha com 7 verdades sobre o cigarro que ninguém tem coragem de comentar.

1 – Algumas marcas são piores que outras

01

Independentemente da marca, qualquer cigarro faz mal à saúde. Algumas marcas apresentam menor teor de nicotina, alcatrão, monóxido de carbono, porém, os consumidores dessas marcas, tendem a consumir mais que os das outras mais fortes.

2 – Parar de fumar engorda

02

Quando uma pessoa para de fumar ocorrem alterações metabólicas em seu organismo. Por isso, é comum que uma pessoa ganhe entre 2 e 4 quilos. Caso o aumento do peso seja maior, a probabilidade é de que essa pessoa esteja usando a comida como válvula de escape, principalmente por causa da ansiedade, que antes era suprida pelo cigarro.

3 – Chicletes e adesivos de nicotina não viciam

03

Muita gente acredita que ao tentar substituir o hábito de fumar por adesivos e/ou chicletes de nicotina, ficarão viciadas nesses produtos. Essa não e uma verdade, são produtos utilizados no processo TRN (Terapia de Reposição de Nicotina). Esse método é realizado para desacostumar o organismo a nicotina, diminuindo cada vez mais as doses que o organismo recebe.

4 – O cigarro é a droga que mais vicia

04

Por ser uma droga lícita e parcialmente aceita pela sociedade, muitas pessoas não consideram o cigarro uma droga tão nociva quanto outras, como o álcool, a maconha, cocaína, heroína, etc. Porém, de acordo com a pneumologista Suzana Pimenta, do Hospital 9 de Julho (SP):

“A nicotina é a substância que causa a dependência química do fumante, sendo considerada uma droga psico-estimulante, com efeitos semelhantes à cocaína e heroína, liberando substâncias estimulantes no cérebro que levam à sensação prazerosa e euforia. Quando a nicotina é aspirada, atinge mais rapidamente o cérebro, em torno de sete a 19 segundos, o que leva em média a 200 associações da nicotina por dia no cérebro de pessoas que fumam um maço diariamente. Nenhuma outra droga oferece tamanha estimulação neurológica.”

5 – Pode ser o começo do uso de outras drogas

05

Como já dissemos, o cigarro é uma droga lícita, sobre a qual algumas pessoas não associam a outros tipos de drogas e vícios. De acordo com o site Notícias Uol, estudos publicados nos últimos anos mostram que o cigarro pode sim ser a porta de entrada para outras drogas, como a cocaína, heroína e crack. Ainda diz que: “um estudo da Universidade de Columbia (EUA), publicado na revista Science Translation Medicine no final de 2011, a nicotina interfere na regulação do DNA e acaba por aumentar a expressão de um gene chamado FosB, relacionado à propensão ao vício.”

6 – Você não perderá sua criatividade

06

Por incrível que pareça, para muitas pessoas o cigarro é uma fonte constante de criatividade, bem, isso não é verdade. De acordo com o site Women’s Health, para Marc L. Steinberg, psiquiatra do vício, “os fumantes são propensos a ficarem doentes com mais frequência, o que reduz sua produtividade por motivos óbvios.” Além disso, se você não for uma pessoa controlada em relação ao número de pausas que faz durante o trabalho, isso pode acabar irritando seu chefe e colegas de trabalho.

7 – Sua saúde irá melhorar

07

Ainda de acordo com Women’s Health, nunca é tarde para parar de fumar, na verdade, o quanto antes melhor. Depois de um ano sem fumar a pessoa já elimina pela metade os riscos de sofrer de doenças do coração, por causa do cigarro. Apenas 20 minutos depois de parar de fumar a frequência cardíaca e pressão arterial diminuem. Assim como, 12 horas depois de ter fumado o último cigarro, os níveis de monóxido de carbono se normalizam no organismo.

Então pessoal, vocês ainda acreditam que vale a pena continuar fumando? Ou será que está na hora de começar a pensar duas vezes antes de acender o próximo? Encontraram algum erro na matéria? Ficaram com alguma dúvida? Não se esqueçam de comentar com a gente!

Escreva Um Comentário