7 utilidades inusitadas para as fezes e urinas no Império Romano


Já falamos aqui sobre muitas coisas estranhas que eram feitas no passado, a lista vai desde meios de cuidar da beleza, até questões de higiene e outras relacionadas à saúde. Mas isso tá longe de ser tudo de inusitado que acontecia em outras épocas.
Um detalhe que você provavelmente não sabia, por exemplo, é que na época do Império Romano existiam muitas coisas bizarras, algumas delas inclusive, relacionadas ao uso de excrementos e fluidos corporais em tarefas do dia a dia. Veja a seguir algumas coisas bizarras que o Império Romano fazia com as fezes e urina humana.

Utilidades bizarras para fezes e urina no Império Romano

Higiene bucal

A urina possui amônia em sua composição, uma substância com alta capacidade de limpar coisas. E alguns autores romanos como Catullus, afirmavam que pessoas usavam a urina humana e animal para fazer enxágue bucal.

Curtir o couro

Aparentemente os romanos viam a urina e fezes como uma boa alternativa para tudo. Antes de colocar os couros para secar, eles passavam urina para ajudar a tirar o pelo. As fezes eram usadas para deixar o couro mais mole, devido as bactérias presentes nelas.

Fertilização do solo

Fertilizante de origem animal é algo muito comum hoje em dia, mas quando o assunto é fezes humanas para adubar o solo, muita gente acha nojento e torce o nariz. Mas a verdade é que na época do Império Romano a urina e as fezes humanas também eram usadas como fertilizantes, tanto que existiam pessoas que trabalhavam coletando o material: uma profissão chamada stercorarii.

As pessoas que usavam esse tipo de adubo precisavam pagar uma taxa para o governo, o que foi inventado pelo imperador Vespasiano. Na Itália, esse imposto até serviu de inspiração para os nomes dos mictórios públicos que são chamados de vespasiani e vespasiennes na França.

De acordo com historiadores, nessa época os cientistas achavam que as fezes eram ricas em nitratos, fósforo e potássio, as substâncias que beneficiam o solo quando usadas em pequena quantidade, mas podiam causar doenças.

Leia também:

Lavar roupas

Como dito anteriormente, a urina possui amônia, sendo uma ótima substância para fazer limpeza, tanto que ela também era usada para lavar as togas, num lugar chamado fullo.

Para lavar as roupas, primeiro os romanos colocavam uma pessoa para ficar pulando em um tanque cheio de urina, como se estivesse esfregando as togas com os pés. Posteriormente era acrescentado ao tanque um pouco de pó e cinzas, todas essas substâncias adicionadas ajudavam a dissolver a sujeira acumulada nas roupas.

Cultivo de plantas

A urina também possui nitrogênio e fósforo e esses compostos são muito úteis no cultivo de vegetais. O autor romano Columella, escreveu que a urina de pessoas idosas era usada com sucesso no cultivo de romãs, que por sua vez, chegavam ao ponto de ser consideradas as mais saborosas e deliciosas do que as que não recebiam a urina.

Curar animais feridos

O autor Columella também falou sobre o uso da urina humana em tratamento de animais. Segundo ele, ovelhas com problemas no estômago eram tratadas com urina humana, enquanto por outro lado, as que tinham problemas pulmonares recebiam urina pelo nariz.

Além disso, as colmeias que apresentavam algum tipo de doença eram banhadas com urina, e até as gripes aviárias eram tratadas com urina quente sendo colocada no bico dos pássaros.

Banheiro

Na época do Império Romano, ir ao banheiro não era algo privativo como é hoje, as privadas eram ao ar livre. Os vasos eram coletivos, ou seja, as pessoas sentavam no vaso e faziam suas necessidades olhando uma para as outras.

fonte: http://www.clickgratis.com.br/bizarro/

Escreva Um Comentário