7 tatuagens que escondem informações secretas

A origem das tatuagens datam de mais ou menos 4 mil anos, e desde seu início a forma de aplicação era à base tintas aplicadas na pele através de agulhas. A persistência dessa arte nos prova sua importância, foi perseguida durante vários momentos da história, como por exemplo seu banimento no século VIII e no XX, nos Estados Unidos.

Não obstante, as tatuagens, em sua maioria, detém importantes signifcados. E justamente por causa disso já ajudou, e muito, desde identificar bandidos e gangues até a enfeitar os mais belos corpos.

Se fizermos uma breve viagem histórica teremos o seguinte: de 2160 a.C. até 1994 a.C. é possível observar, através das múmias egépcias, que algumas mulheres tinham inscrições na parte do abdômen. Da mesma forma, múmias com mais de 2400 anos, que foram encontradas na Sibéria, mostravam ombros com desenhos de animais reais e imaginários.

Um pouco depois, entre os anos de 509 a.C. e 27 a.C., os prisioneiros e escravos romanos tinham de ser tatuados, para que não fossem confundidos com os imperadores romanos. Quando em 787 d.C., o papa Adriano I proibiu as tatuagens por acreditar que eram coisa do demônio. Então, entre os século XV e XVII, época de invasão da Bósnia e Herzegovina, pelos turco otomanos, os católicos começaram a tatuar cruzes em seus corpos para que não precisassem rezar para Alah.

Em 1600 d.C., as guerras feudais chegaram ao seu fim, fazendo com que os serviços dos samurais já se tornassem desnecessários, é quando surge a máfia japonesa, Yakuza. James Cook, um navegador inglês, durante uma expedição à Polinésia observou que os nativos tinham a tradição de marcarem seus corpos com tinta, e a chamavam Tatao.

Então, em 1891 d.C., Samuel O’Reilly, a partir de uma adaptação de uma invenção de Thomas Edison, patenteia a máquina de tatuar. Durante a Segunda Guera Mundial, os nazistas tatuavam nos judeus um número, uma forma de identificá-los como prisioneiros dos campos de concentração.

No Brasil, o primeiro tatuador profissional foi o dinamarquês Knud Gegersen, em 1959. Em 1961, houve um surto de Hepatite B em Nova York, por isso, a Secretaria de Saúde local, proibiu que novas tatuagens fossem realizadas.

Claro que essa é um resumo, do resumo, do resumo da história da tatuagem. O que não a torna menos importante, principalmente pelo fato de podermos identificar sua importância e entender um pouco mais sobre essa arte milenar.

E pensando nisso, a redação selecionou uma lista com 7 tatuagens que escondem informações secretas. Confira:

1 – Túmulos

01

É muito comum ver componentes de gangues, presidiários e ex-presidiários tatuados. Em sua maioria elas têm fortes significados. Como por exemplo os túmulos, quando acompanhados de números e/ou datas podem dizer a quantidade de pessoas que já matou, agora, se forem sem datas ou números, se referem às pessoas que são leais e sabem guardar segredo.

2 – Sereia

02

Se estiver tatuada na perna direita, normalmente indica que a pessoa foi condenada por estupro e abuso.

3 – Saci

03

Feita para que seja possível a identificação de traficantes e usuários de drogas. Geralmente é tatuada no braço ou na barriga, e quer dizer que essa pessoa é a responsável pela preparação e distribuição das drogas.

4 – Pontos

04

Tanto nas mãos quanto no rosto, tatuagens de pontos podem indicar vários tipo de crimes cometidos. Como por exemplo: um ponto é referente aos batedores de carteira, dois pontos são estupradores, três são viciados e traficantes, e assim por diante.

5 – Jesus

05

Claro que não todos, mas alguns prisioneiros usam a imagem de Jesus como uma forma de indicar que tem alguma ligação com o mundo do crime. Essa prática começou com os criminosos russos, essa era uma indicação que assim como Jesus, eles foram condenados.

6 – Índia

06

Bastante comum entre assassinos de policiais e praticantes de roubos. Essa tatuagem representa a deusa da beleza, que usa da sedução para atrair vítimas.

7 – Koi

07

No mundo da máfia japonesa, Yakuza, o Koi (Carpa), pode ser representado de três maneiras: 1) Higoi, carpa vermelha; 2) Magoi, carpa negra; e 3) Nishikigoi, carpa multicolorida. Tradicionalmente, sua simbologia está ligada à superação, isso porque o Koi deveria atravessar um longo caminho, entre corredeiras, pedras e cascatas, caso chegasse ao final do trajeto ele se transformaria num belo dragão.

Esses são apenas alguns exemplos de tatuagens com significados fortes e que devem ser bem observadas, tanto por segurança quanto na hora de tatuá-las. Você tem algum desses desenhos? O que achou da matéria? Lembra de mais algum item que poderia entrar na lista? Comente com a gente!

Escreva Um Comentário