7 países que oferecem visto de trabalho para brasileiros


Você não precisa encarar a dura carreira de imigrante ilegal para trabalhar no exterior. E também não precisa ser um nômade digital, usando a internet para trabalhar normalmente, como você faria no Brasil. Se seu objetivo é buscar trabalhos temporários, como de atendente num hostel ou garçom, saiba que é possível fazer isso, garantir uns trocados e viajar, tudo de forma legal.

Também é possível conseguir trabalhos permanentes lá fora, até mesmo em áreas de trabalho concorridas e com bons salários. Listamos abaixo alguns países que oferecem visto de trabalho para brasileiros.

Vai viajar? Importante: O Seguro de Viagem é obrigatório em dezenas de países, inclusive na Europa, e importante em qualquer viagem. Veja como conseguir o seguro com o melhor custo/benefício

Estados Unidos

Embora tenha fama de chato na hora de ceder vistos, os Estados Unidos oferecem diversas possibilidades para brasileiros que sonham em trabalhar, viajar e até morar legalmente por lá. Um dos mais conhecidos é o visto J-1, para intercambistas.

Esse é o visto usado por quem faz os programas work and travel, em que o viajante trabalha por um período, normalmente de três meses, e depois viaja pelo país. Esse também é o visto que deve ser solicitado por estudantes de pós graduação e especialização, para programas de emprego de verão, estágios universitários e programas do tipo au pair. Detalhes no site da Embaixada Americana.

Veja também: Como funciona o intercâmbio work and travel nos Estados Unidos

estátua da liberdade, estados unidos

O H-1B é outro visto para trabalho temporário nos Estados Unidos. Pode ser pedido por profissionais com bacharelado e que tenham uma proposta para trabalhar temporariamente numa empresa americana, em cargo que exija o diploma. Apenas 65 mil vistos desse tipo são fornecidos por ano. O processo é burocrático: a Embaixada norte-americana recomenda que o pedido do visto seja feito pelo menos 120 dias antes da data prevista de trabalho. Detalhes aqui.

Já o visto (L-1) é para profissionais de empresas internacionais que serão transferidos para a sede da empresa nos Estados Unidos.

Irlanda

Não faltam brasileiros na Irlanda. Segundo o governo do país, nós formamos o segundo maior grupo de estrangeiros não europeus vivendo por lá – só perdemos para a Índia. O motivo? O país permite a combinação de estudos, trabalho temporário e viagens. Além de ser uma das opções de intercâmbio mais baratas na Europa – ainda mais se você considerar a possibilidade de juntar dinheiro trabalhando por lá – a Irlanda é um país incrível.

Entretanto, vale prestar atenção nas novas regras de trabalho temporário, que começam a valer a partir do dia 1º de outubro de 2015. A partir dessa data, o visto de estudante (que também permite trabalho temporário) valerá por oito meses, não mais por um ano.

São 25 semanas de curso, oito semanas de férias e direito a trabalhar 20 horas semanais. “Também poderão solicitar férias e trabalhar até 40 horas semanais entre os meses de maio e agosto e de 15 de dezembro a 15 de janeiro, sendo que o número de semanas de trabalho em turno integral não pode ultrapassar oito semanas no total”, explica Luiza Vianna, gerente da agência CI Intercâmbio e Viagem. Você acha mais informações sobre os vistos para a Irlanda no site Ireland.com.

Canadá

O Canadá já foi uma ótima opção para intercambistas brasileiros, multidões que procuravam o país para estudar idiomas, normalmente inglês, e trabalhar em meio período, o que ajudava a pagar a viagem e até a juntar uma grana.  Esse tempo, no entanto, acabou: desde junho de 2014 as regras mudaram. Agora, não é mais possível trabalhar no Canadá durante uma viagem para estudar inglês ou francês.

Visto para trabalho temporário no exterior

Vancouver, Canadá 

Mas isso não significa que seja impossível trabalhar legalmente no Canadá. Por outro lado, a vida ficou mais fácil para estudantes de graduação e pós, que agora podem trabalhar por até 20 horas por semana, inclusive fora do campus da universidade, sem precisar de autorização do governo para isso. A medida vale para cursos com pelo menos seis meses de duração.

Nova Zelândia

Além de ser um dos países mais bonitos do mundo, a Nova Zelândia é outra queridinha de quem busca oportunidades de trabalho no exterior. Desde janeiro de 2014, intercambistas estrangeiros – inclusive brasileiros – têm permissão para trabalhar temporariamente no país, desde que estejam fazendo cursos com duração maior que 14 semanas.

Ano Sabático

Vale dizer também que a Nova Zelândia fornece uma cota anual limitada de vistos do tipo Working Holiday Visa para brasileiros, que permite permanecer e trabalhar por um ano no país. Detalhes no site oficial. Leia também o texto do blog Vida Cigana sobre como conseguir um emprego na Nova Zelândia.

E ainda há a possibilidade de conseguir um emprego antes de sair de casa, pela internet ou por uma agência, e pedir um visto de trabalho.

Austrália

É possível trabalhar de forma legal na Austrália, tanto temporariamente como permanentemente, para aqueles que desejam imigrar para o país. O site do governo australiano tem informações sobre o assunto. Lá você consegue ver quais áreas oferecem mais oportunidades de trabalho, quais conhecimentos são desejados pelo governo e até quais os direitos de um trabalhador no país. Outra leitura interessante está no site Brazil Australia, que dá dicas de como conseguir um emprego e trabalhar legalmente por lá.

O visto de estudos também permite que você trabalhe temporariamente no país, por até 20 horas semanais e somente enquanto estiver fazendo o curso. Saiba mais aqui.

Argentina

Já pensou em morar e trabalhar em Buenos Aires (ou em outra cidade da Argentina)? Por conta de acordos entre os países do Mercosul, isso é mais fácil do que muitos imaginam. Para começo de conversa, leia o livro digital que o Ministério das Relações Exteriores tem sobre esse assunto. Em resumo, brasileiros podem pedir um visto de residência temporária que permite trabalhar, viajar e estudar na Argentina. A autorização vale por dois anos e pode ser renovada.

No guia do Ministério das Relações Exteriores há infirmações completas sobre como conseguir a autorização de trabalho, quais documentos são necessários e quais os direitos do trabalhador estrangeiro no país.

Guia de viagem para a Argentina

Uruguai

A situação é a mesma da Argentina (e de outros países do Mercosul, como o Paraguai). É possível trabalhar, seja de forma temporária ou permanente, no país. Basta seguir o passo a passo legal, disponível no guia do Ministério das Relações Exteriores sobre o assunto.

O blog Brasileiros no Uruguai também explica como conseguir empregos, abrir uma empresa, conseguir a permanência definitiva e qual o custo de vida no país. E garante: o Uruguai até mesmo incentiva a abertura de empresas por parte de estrangeiros, num processo que não é muito burocrático.  Leia aqui.

Read more: http://www.360meridianos.com/2015/07/visto-de-trabalho-brasileiros.html#ixzz4YTmmzp19

Escreva Um Comentário