10 tratamentos médicos bizarros que são usados até hoje

Ao longo dos séculos (por vezes, milênios) a busca por tratamentos médicos e cura dos mais variados tipos de doenças, graves ou não, tornou-se incessante. Os mistérios que envolvem o organismo humano são muito maiores do que, ainda, somos capazes de imaginar. Não à toa, pequisas e experimentos continuam e acompanham os avanços tecnológicos.

Achamos importante lembrar que não temos o intuito de criticar, julgar, nem impor verdades absolutas. Nosso objetivo é único e exclusivo de informar e entreter. Por isso, o conteúdo dessa matéria se destina àqueles que se identificarem.

Foi pensando, justamente, nesses interesses que a redação selecionou essa listinha com 10 tratamentos médicos bizarros que são usados até hoje. Alguns desses tratamentos podem parecer estranhos a algumas pessoas mas, devemos pensar que se tratam de métodos utilizados há séculos. Também podemos refletir sobre o fato de ainda serem usados, o por quê e, como isso reflete em nossas vidas? Confira.

1 – Exorcismo

01

Ainda hoje, muitas pessoas acreditam em possessão demoníaca e, acreditam tanto que estão dispostos a recorrer a tratamentos “medievais”, no intuito de evitar tratamentos modernos.

Existem os mais variados tipos de crença, aqueles que realmente acreditam em espíritos possessivos e aqueles que acreditam que há uma explicação científica para tudo. Também, são necessários muitos anos de estudo e dedicação para se tornar um exorcista.

De qualquer forma, existem muitos casos que dizem ter sido curados em sessões de exorcismo.

2 – Lobotomia

02

A lobotomia é uma intervenção cirúrgica que liga as regiões pré-frontais do cérebro com o tálamo.É uma técnica que foi criada em 1933, por A. Egas Moniz, quem recebeu o Prêmio Nobel em 1949. Por ser um tratamento altamente invasivo está em desuso.

Porém, para casos extremos de epilepsia ainda é usado. Houve um caso em que, um psiquiatra, utilizou um martelo e um formão enfiando na cavidade ocular do paciente, passando por trás do olho.

3 – Terapia eletroconvulsiva

03

Utilizada, ainda hoje, no tratamento de depressão crônica e bipolaridade. O objetivo desse tratamento é induzir uma convulsão através de choques elétricos no paciente.

Apesar de não ser o mais indicado, esse tratamento foi bastante utilizado por algumas décadas, pelo menos, até a comunidade científica chegar à conclusão de que os efeitos colaterais eram extremamente severos, sendo alguns deles: confusão, dores musculares, fraturas de ossos e perda de memória que podia durar meses.

Mesmo assim, em 2001, a Associação Americana de Psiquiatria começou a utilizar novamente esse tipo de tratamento e muitos países acompanharam esse caminho.

4 – Talidomida

04

Conhecido por ser um medicamento altamente maléfico , foi desenvolvido na década de 1950, com o intuito de evitar enjoos matinais de mulheres gestantes.

Infelizmente, a utilização desse medicamento resultou no nascimento de mais de 10 mil crianças com graves deformações físicas, sendo que praticamente a metade delas faleceu logo nos primeiros meses de vida.

Ainda assim, ele voltou, agora no tratamento de pessoas com câncer de medula óssea. Existe um cuidado especial com as mulheres, para que não estejam grávidas.

5 – Peixes vivos

05

A família indiana Bathini Gauds, utiliza esse tratamento há mais de 160 anos, contra a asma. O tratamento consiste em engolir um peixe vivo, uma bolinha de remédio (claro que a receita é secreta), sendo que, nos próximos 45 dias após a ingestão é necessária uma dieta restrita.

De acordo com a família, ao longo das décadas milhões de pessoas já foram curadas e por volta de meio milhão as procura por ano. Dizem que o peixe é utilizado para que, ao ser engolido, limpe todo o caminho, desde a garganta do paciente até o estômago.

A Associação Médica da Índia não aceitou bem a história e já ameça processar a família caso não revelem a tal receita secreta.

6 – Trepanação

06

Se trata de uma técnica cirúrgica na qual um osso, principalmente o crânio, é perfurado. Essa é uma técnica milenar, por volta de 7 mil crânios com perfurações circulares nas laterais já foram encontrados.

Era utilizada no tratamento de doenças mentais e enxaquecas. Atualmente, seu uso se restringe à redução da pressão craniana causada por excesso de sangue acumulado em torno do cérebro.

De qualquer forma, se trata de um procedimento muito impactante.

7 – Folhas queimadas

07

São utilizadas para tratar paralisias faciais. Também conhecida como “Moxabustão”, que significa: longo tempo de aplicação do fogo, é uma tipo de acupuntura térmica, realizada através das ervas Artemisia Sinensis e Artemisia Vulgaris. Essa técnica é tradicional da medicina chinesa. No caso das paralisias faciais, o médico coloca rolos de folhas secas sobre ouvidos, boca e rosto do paciente, queimando as folhas.

8 – Parasitas intestinais

08

Hoje em dia, são utilizados para o tratamento de alergias. Na década de 1970, alguns cientistas observaram que pessoas com alto índice de infecção pelo parasita Ancylostoma Duodenale (ancilostomíase) apresentavam raros casos de alergias ou doenças autoimunes. Não há explicações lógicas para esse fenômeno, ainda. Mas, por exemplo, a empresa Autoimmune Therapies, utiliza esses parasitas no tratamento de algumas doenças.

9 – Larvas

09

Em períodos de guerra esse era um tratamento bastante utilizado. As larvas devidamente esterilizadas, são colocadas sobre ferimentos abertos, com o objetivo de que se alimentem dos tecidos mortos e/ou necrosados, para evitar que o machucado piore. Em alguns países esse tratamento é, inclusive, aceito por planos de saúde.

10 – Veneno de abelha

10

A “Apiterapia” se trata de uma modalidade da medicina alternativa, na qual são utilizados produtos derivados de abelhas, como: mel, própolis, geleia real, cera, apitoxina e larvas de zangão. Como fins terapêuticos, tanto em seres humanos como em animais. Surgiu por volta do século XIX, quando um médico austríaco, Philip Terc, foi picado por um enxame e, surpreendentemente, observou que suas dores derivadas do reumatismo haviam diminuindo de forma bastante considerável.

Então pessoal, será que vocês já conheciam todos os tipos de tratamentos mencionados acima? O que acham deles? Será que são realmente tratamentos confiáveis? E necessários? Conhecem algum outro tratamento bizarro de épocas remotas que ainda é utilizado hoje em dia? Sugestões, dúvidas, correções? Não se esqueça de comentar com a gente.

Escreva Um Comentário